Pesquisar

Canais

Serviços

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Presidente da Câmara

Maia defende aumento de verba para deputados

Agência Estado
15 jun 2012 às 18:24
siga o Bonde no Google News!
Publicidade
Publicidade

O presidente da Câmara, Marco Maia (PT-RS), defende o aumento da verba destinada aos gabinetes dos deputados, utilizada para o pagamento de assessores contratados sem concurso público. Cada deputado tem disponível R$ 60 mil por mês para pagar salários de até 25 funcionários, que trabalham nos gabinetes na Câmara ou na base eleitoral do parlamentar.

"Sou favorável (ao reajuste). São servidores de gabinete que têm os salários mais baixos da Câmara e estão sem aumento há quase cinco anos. Assim que tivermos condições orçamentárias, cuidaremos disso", afirmou Maia na quinta-feira, durante entrevista coletiva. O presidente da Câmara, no entanto, disse não haver ainda previsão para esse reajuste.

Cadastre-se em nossa newsletter

Publicidade


Uma das propostas em estudo é a de reajustar a verba em 25%, alcançando R$ 75 mil por mês. Atualmente, o maior salário de assessor de gabinete é de R$ 8.040,00, considerando as gratificações. Sem elas, a maior remuneração é de R$ 4.020,00. Além da verba para contratar assessores para os seus gabinetes, o parlamentar tem direito a uma cota mensal para gastar com despesas de seus escritórios políticos nos Estados, passagens aéreas, alimentação e demais gastos considerados para o exercício do mandato.

Leia mais:

Imagem de destaque
Recordou da facada de 2018

Bolsonaro diz que 'só conservadores' sofrem atentado ao comentar tiro em Trump

Imagem de destaque
Entenda

PF tira software espião do foco e mira dossiês em investigação sobre 'Abin paralela' de Bolsonaro

Imagem de destaque
Análise

Governo Lula perde debate digital de saidinha, dólar e arroz e ganha com BC e PL Antiaborto

Imagem de destaque
Mulheres são mais afetadas

Câmara aprova inclusão de políticas públicas para Burnout no SUS; especialistas comentam

Os deputados e os senadores têm o salário mensal de R$ 26,7 mil. Os parlamentares que não moram em apartamento funcional recebem auxílio-moradia no valor de R$ 3 mil.


Publicidade

Últimas notícias

Publicidade