Pesquisar

Canais

Serviços

Publicidade
'Mea' culpa?

Vereador 'culpa' imprensa por prisão de Rodrigo Gouvêa

Redação Bonde
15 out 2009 às 20:30
siga o Bonde no Google News!
Publicidade
Publicidade

Tito Valle (PMDB) defendeu o colega Rodrigo Gouvêa (PRP) em plenário, durante a sessão desta quinta-feira (15), na Câmara Municipal. Na oportunidade, criticou a ação do Ministério Público, que culminou na prisão de Gouvêa, e também a cobertura da imprensa neste caso.

Rodrigo Gouvêa foi preso por peculato, uso indevido de dinheiro público para fins particulares. Ele é acusado de empregar funcionária fantasma em seu gabinete e ameaçar testemunhas de acusação.

Cadastre-se em nossa newsletter

Publicidade
Publicidade


Em entrevista à rádio CBN Londrina, Valle defende o princípio da presunção de defesa. "O que estamos vendo no caso do vereador Rodrigo Gouvêa é uma condenação, independente da finalização do processo. Tecnicamente, o vereador teria condições de responder este processo em liberdade. Essa prisão é exacerbada. Não é cabível esse tratamento", disse. Valle também é advogado.

Leia mais:

Imagem de destaque
Caso Moro

Pré-campanha: Gastos excessivos podem configurar abuso de poder

Imagem de destaque
Histórico

TSE tem duas ministras negras na bancada do plenário pela primeira vez na história

Imagem de destaque
Ministro Marques

Relator libera processos que podem levar Moro à cassação para julgamento no TSE

Imagem de destaque
Texto segue para o Senado

Caso Joca: Câmara dos Deputados aprova PL que exige oferta de serviço para rastrear pets em voos


"Eu penso que a imprensa, talvez pela história da Câmara de Londrina, tenha atuação premeditada no sentido de veicular matérias que são do interesse da população, mas que venham ao encontro desse interesse, que é condenar antes de julgar. A imprensa poderia estar garantindo maior imparcialidade na condução do processo, porque assim a gente vai construir cidadania e respeito às leis", criticou.

Rodrigo Gouvêa também é acusado por corrupção passiva e improbidade administrativa. Ele já responde por quatro ações impetradas na Justiça pelo Ministério Público.


Publicidade

Últimas notícias

Publicidade