Pesquisar

Canais

Serviços

Continua depois da publicidade
Continua depois da publicidade
Qualidade da água

Balneabilidade melhora um ponto no litoral do PR

Heloísa Prado - Bonde
31 jan 2007 às 18:18
Continua depois da publicidade

O sétimo boletim de balneabilidade divulgado pelo Instituto Ambiental do Paraná (IAP), nesta quarta-feira (31), traz 15 pontos próprios para banho – um a mais que o boletim apresentado na semana passada. A pequena alteração do número de pontos próprios para banho, se comparado à semana anterior, deve-se ao grande volume de chuvas que ocorreram no mês de janeiro no Litoral. Se somados, os 23 pontos que estão impróprios para banho totalizam menos de cinco quilômetros dos 96 da orla paranaense.

Continua depois da publicidade
PUBLICIDADE

Segundo o meteorologista do Simepar, Lizandro Jacobsen, desde 1º de janeiro, a Estação Meteorológica de Guaratuba (que é usada como referência para as chuvas no Litoral) registrava 264 milímetros de chuva – 38 milímetros a mais que o mesmo período no ano passado. "Destes 30 dias, 19 foram chuvosos. Não foram registradas chuvas em apenas seis dias e outros cinco apresentaram chuva de fraca intensidade", completou.

Continua depois da publicidade


O secretário do Meio Ambiente e Recursos Hídricos, Rasca Rodrigues, disse que as chuvas carregam para o mar esgotos que foram lançados irregularmente nas galerias pluviais – levando junto a bactéria que indica a presença de coliformes fecais. "A chuva também causa o transbordamento do esgoto acumulado em fossas e valetas, contribuindo com a contaminação da água", explicou.


Monitoramento - O resultado da análise da qualidade da água (balneabilidade) em 38 pontos com maior fluxo de banhistas nas praias do Paraná é divulgado semanalmente pelo IAP. A balneabilidade aponta a emissão de esgoto sanitário e presença de coliformes fecais nas águas da orla paranaense e qualifica os locais em próprios ou impróprios para banho.

O IAP alerta que tomar banho em água contaminada pode causar doenças como gastrenterite, infecções nos olhos, ouvidos e garganta, e doenças de pele. Doenças mais graves também podem ser transmitidas através da água, como hepatite A, cólera e febre tifóide.


Continue lendo

Últimas notícias

Publicidade