Pesquisar

Canais

Serviços

Com área de 530 hectares, o local possui uma trilha de 400 metros para interpretação e educação ambiental - Oseas Gonçalves
Continua depois da publicidade
Continua depois da publicidade
Turismo ecológico

Floresta do Palmito é opção de passeio no litoral

Redação - Bonde
12 jan 2007 às 13:08
Continua depois da publicidade

Conhecer a Floresta Estadual do Palmito é uma opção para quem está passando férias no litoral paranaense e está cansado de ficar apenas nas praias. A floresta localiza-se a 18 quilômetros de Pontal do Paraná, pela BR-277.

Continua depois da publicidade
PUBLICIDADE

Com área de 530 hectares, o local possui uma trilha de 400 metros para interpretação e educação ambiental. As informações são da Agência Estadual de Notícias.

Continua depois da publicidade


O Instituto Ambiental do Paraná (IAP), que coordena a área, promove caminhadas e discussões pelas trilhas sobre temas relacionados à composição vegetal do ambiente, animais que ali habitam, e sobre conservação e a importância de manter áreas nativas protegidas.


As visitas – para estudantes, técnicos ou qualquer outro grupo organizado – precisam ser agendadas com, no mínimo, três dias de antecedência, e podem ser realizadas de terça-feira a sábado, das 8h às 17h, em qualquer período do ano. O número de visitas por período é de, no máximo, 35 pessoas, e não é cobrada taxa de visitação.


"A floresta abriga um dos maiores remanescentes de diversas espécies de palmito que compõe o bioma da mata atlântica. É um centro de pesquisa e difusão de tecnologia para preservação da espécie, aliado a possibilidade da prática do ecoturismo", declarou o secretário do Meio Ambiente e Recursos Hídricos, Rasca Rodrigues.

Continua depois da publicidade


Mata atlântica


A vegetação da Floresta Estadual do Palmito é composta de floresta ombrófila densa de terras baixas, restingas e mangues. As espécies mais representativas que compõe sua flora são guanandi, palmito jussara (espécie nativa), massaranduba, figueira e jerivá.


Trabalhos de pesquisa científica são desenvolvidos com freqüência no local, o que contribui para o manejo da Unidade de Conservação. Atualmente, pesquisadores da Pontifícia Universidade Católica (PUC) levantam a avifauna local. Até agora, mais de 260 espécies de aves foram catalogadas em quatro anos de trabalho. Já o estudo de insetos (entomologia) na Floresta do Palmito será tema de dissertação de mestrado de dois pesquisadores da Universidade Federal do Paraná (UFPR). Nos últimos 10 anos, já foram produzidos mais de 20 trabalhos técnico-cientificos no local com publicação internacional.

Para agendar visitas e saber mais sobre o parque, os interessados podem ligar nos números: (41) 3424-5016 (Floresta do Palmito) ou (41) 3422-8233 (escritório do IAP de Paranaguá), ou no site do IAP www.pr.gov.br/iap.


Continue lendo

Últimas notícias

Publicidade