Pesquisar

Canais

Serviços

- Pixabay
Continua depois da publicidade
Continua depois da publicidade
Entenda

Cofundador da Apple anuncia empresa de lixo espacial

14 set 2021 às 11:36
Continua depois da publicidade
 Mais um empresário do ramo da tecnologia tem planos para entrar no circuito da exploração espacial privada, mas de uma forma um tanto diferente das iniciativas que vimos até o momento com os bilionários Jeff Bezos, com a Blue Origin, Elon Musk, com a SpaceX, e Richard Branson, da Virgin Galactic. O cofundador da empresa de tecnologia Apple, Steve Wozniak deve dar mais detalhes, ainda essa semana, da sua empresa Privateer Space, que, ao que parece, terá o objetivo de lidar com lixo espacial.

A empresa foi citada por Wozniak em um tuíte, neste domingo (12). "Uma empresa privada está começando, como nenhuma outra", diz a postagem.

Continua depois da publicidade

O tuíte é acompanhado por um vídeo inspiracional, no qual uma voz masculina afirma que "juntos nós iremos longe" e que "isso não é uma corrida, não é uma competição", enquanto imagens de exploração espacial são mostradas.

Continua depois da publicidade

O vídeo também afirma que cabe aos seres humanos tomar conta do que temos atualmente para que as próximas gerações possam ir mais longe.


Até o momento, não há muita informação além disso sobre a nova empresa espacial privada. Mas um texto destinado à imprensa de agosto, de uma empresa de impressão 3D chamada Desktop Metal, aponta o objetivo da Privateer, de Wozniak, de monitoramento e limpeza espacial.

Continua depois da publicidade

Nesse texto, o próprio Wozniak afirma que, "através do avanços em materiais que a Desktop Metal está fazendo, temos a oportunidade incrível de colaborar e manter o espaço acessível para futuras gerações".


Mais detalhes sobre a nova empresa devem ser apresentadas na Amos (Advanced Maui Optical and Space Surveillance Technologies), evento que começa nesta terça-feira (13), no Havaí.


O lixo espacial é um problema que já causa preocupação para as agências espaciais para a manutenção do uso do espaço. Objetos mais distantes da Terra podem ficar na órbita do planeta por muito tempo e acabar colidindo com satélites, por exemplo. Mesmo pequenos pedaços de lixo espacial podem causar grandes avarias, considerando as altas velocidades envolvidas.


Em 2018, o primeiro laboratório espacial chinês, a Tiangong-1, lançada em 2011, caiu na Terra e reacendeu o debate sobre o lixo espacial.

Continue lendo