12/06/21
PUBLICIDADE
Entenda os riscos

Pílulas do dia seguinte são maioria nas buscas de medicamentos entre público feminino

A plataforma Consulta Remédios, maior comparador de itens de farmácia do Brasil, realizou um levantamento nos primeiros meses de 2020 e constatou que entre os remédios mais buscados pelas mulheres estão os contraceptivos de emergência, as chamadas pílulas do dia seguinte.

Reprodução/Sharon Mccutheo/Unsplash
Reprodução/Sharon Mccutheo/Unsplash


Entre os cinco mais buscados por elas, três estão nesta categoria, acompanhados por reguladores de menstruação e medicamentos para vulvovaginite, como, por exemplo, a popular infecção pelo fungo Candida. Entre os 20 milhões de usuários mensais que a plataforma registra a nível nacional, 69% é composto pelo público feminino.

"Isso mostra o quanto as mulheres ainda carregam a responsabilidade de cuidar da questão reprodutiva. Assim, é preciso que os homens cada vez mais estejam conscientes do seu papel e das suas responsabilidades na questão da prevenção não só da gestação, mas também de doenças transmissíveis. Até porque é prejudicial à saúde da mulher uma grande ingestão de hormônios, sobretudo aqueles que estão presentes nas pílulas do dia seguinte”, alerta Francielle Mathias, farmacêutica responsável pelo Consulta Remédios.

Uma das formas mais populares de evitar a possibilidade de gestação, a pílula do dia seguinte completou 20 anos de chegada no Brasil, e acabou se popularizando. No entanto, o objetivo principal deste tipo de medicamento é ser utilizado em casos de emergência, e o uso contínuo pode oferecer riscos.

"A pílula é um método eficaz nos casos em que há relação sem proteção. No entanto, fazer o uso desse tipo de medicamento rotineiramente pode ser bem perigoso, não só pela quantidade de hormônios ingeridos, mas também por ocasionar uma confusão no ciclo menstrual, fazendo com que as chances de engravidar aumentem, justamente por desregular o processo natural do corpo, além disso, não impede a transmissão de ISTs”, explica Francielle.

Mulheres e os cuidados com a saúde

Quando o assunto é saúde, as mulheres ainda são as que mais se preocupam. Prova disso são os dados de expectativa de vida de homens versus mulheres. Enquanto eles têm uma média de 72,9 anos, as mulheres possuem uma expectativa de 79,9 anos, o que mostra que os cuidados com a saúde para as mulheres ainda são prioridade.

"Além de cuidar mais da sua saúde, as mulheres ainda são as mais responsáveis pelos cuidados com a família. Ou seja, a presença marcante da mulher na plataforma não significa apenas que as mulheres estão em busca de medicamentos para si mesmas, mas também para seus filhos, pais, por exemplo”, explica Paulo Vion, CEO da plataforma.

Além disso, entre o público que mais consome os serviços da plataforma, estão jovens de 25 a 34 anos, que representam 36% dos acessos. "Essa é uma idade em que as mulheres estão mais ativas física, assim, entendemos que a busca por medicamentos está muito relacionado a essas questões”, finaliza Vion.
Redação Bonde com Assessoria de Imprensa
PUBLICIDADE
Continue lendo
Saiba mais

Você conhece Santo Antônio? Padre Reginaldo Manzotti explica

12 JUN 2021 às 11h22
Assista no Folha Entrevista

Pacto pelo desenvolvimento de Londrina com Marcia Manfrin

12 JUN 2021 às 00h00
Momentos difíceis

O que o isolamento social nos ensina sobre relacionamentos?

11 JUN 2021 às 19h00
Assista no MultiFit

Como a cirurgia buco-facial pode ajudar na sua autoestima

11 JUN 2021 às 08h00
Assista no Gente!

Influencer Thaisa Dalmut fala de projetos e seu amor pelas plantas

11 JUN 2021 às 04h00
Veja no Folha Entrevista

Como funcionará a volta ao ensino presencial em Londrina?

11 JUN 2021 às 00h00
Veja mais e a capa do canal
JORNAIS
Folha de Londrina
TELEVISÃO
MultiTV Cidades
OUTRAS EMPRESAS
Grafipress
RSS - Resolução máxima 1024x728 - () - Bonde - Todos os direitos reservados