Pesquisar

Canais

Serviços

Divulgação
Continua depois da publicidade
Continua depois da publicidade
Nesta quarta

Talk show orienta síndicos de condomínios sobre a violência doméstica e familiar

Redação Bonde com Assessoria de Imprensa
07 dez 2021 às 12:01
Continua depois da publicidade

Para que cada vez mais síndicos e administradores de condomínios tenham orientação a respeito dos direitos das mulheres e como enfrentar a violência doméstica e familiar, será realizado nesta quarta-feira (8), às 20h, um talk show sobre a lei estadual n° 20.145/2020. O talk show será realizado no auditório do CEAL (Clube de Engenharia e Arquitetura de Londrina), localizado na Avenida Maringá, 2.400. As vagas são limitadas e o auditório tem capacidade para 110 pessoas.

Continua depois da publicidade
PUBLICIDADE


Dentre os participantes, estarão o prefeito de Londrina, Marcelo Belinati; a juíza Zilda Romero, do 1° Juizado de Violência Doméstica e Familiar de Londrina; a juíza Márcia Guimarães Marques, do 2° Juizado de Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher; o secretário municipal de Defesa Social, coronel Pedro Ramos; e o Superintendente da Delegacia da Mulher, Fabiano Chagas.

Continua depois da publicidade
Continua depois da publicidade


Na moderação, estarão a secretária municipal de Políticas para as Mulheres, Liange Doy Fernandes, juntamente com o diretor comercial da Exclusiva Condomínios, empresa realizadora do talk show, Ronaldo Zandomenighi.


A ação desta quarta-feira (8) tem apoio da Prefeitura de Londrina, por meio da SMPM (Secretaria Municipal de Políticas para as Mulheres), e encerra a programação da Campanha “21 dias de ativismo pelo fim da violência contra as mulheres”.


A secretária municipal da pasta lembrou que a primeira atividade da campanha foi em 19 de novembro, com a participação na 2ª Expocond – Feira de Negócios para Condomínios de Londrina e Região. “Encerraremos a Campanha com participação neste talk show, que abordará o que o condomínio deve saber para enfrentar a violência contra a mulher. Temos desde 2020, no Paraná, a lei n° 20.145, que determina aos condomínios residenciais e comerciais que comuniquem, através de síndicos ou administradores, indícios ou ocorrência de violência doméstica ou familiar contra mulheres, crianças, adolescentes ou idosos”, frisou.

Continua depois da publicidade


Além de abordar a lei estadual, o evento será uma oportunidade de divulgar os serviços municipais de atendimento à mulher em situação de violência, como o CAM (Centro de Atendimento à Mulher), a Casa Abrigo e o aplicativo 153 Cidadão, da Guarda Municipal.


A secretária municipal de Políticas para as Mulheres explicou que a forma de realizar essa comunicação ainda gera muitas dúvidas. “Por isso, por meio desse evento, abordaremos as formas de violência, a atuação da delegacia especializada, dos juizados e da Prefeitura, que atende essas mulheres tanto por meio da Guarda Municipal, especialmente via Patrulha Maria da Penha, como por meio da SMPM”, disse.


Ao todo, a Campanha “21 dias de ativismo pelo fim da violência contra as mulheres” promoveu 26 ações, realizadas pela Prefeitura, associações e entidades parceiras. “Essas ações visaram propiciar às mulheres o acesso à informação, de forma clara e direta, sobre como obter ajuda para romper o ciclo de violência e sobre como o papel da sociedade é fundamental para isso”, acrescentou a secretária municipal.


Segundo a magistrada Márcia Guimarães Marques, o talk show trará informações importantes sobre a violência doméstica e a necessidade de procurar os canais competentes, dentro do âmbito dos condomínios. “Será muito esclarecedor e, com certeza, poupa a vida e a sanidade física de muitas mulheres caso a denúncia seja feita em tempo hábil”, comentou.


Também confirmada no rol de debatedores, a juíza Zilda Romero convida os profissionais que atuam em condomínios residenciais e comerciais para o talk show. “Convido todos a participarem desse evento tão importante, que será realizado com várias autoridades e especialistas. Não basta ter uma lei, é preciso conhecer o conteúdo dessa lei e sensibilizar a todos para colocarem em prática. Assim vamos enfrentar a violência doméstica e familiar que ocorre dentro dos lares”, destacou.

Continue lendo