Pesquisar

Canais

Serviços

Publicidade
Estudos

Com mudanças climáticas, cientistas querem nova categoria para furacões

UOL/Folhapress
07 fev 2024 às 15:41
- Pexels/Pixabay
siga o Bonde no Google News!
Publicidade
Publicidade

Uma pesquisa publicada nesta semana sugere criar uma nova categoria máxima para furacões, para mostrar como a mudança climática intensificou esses fenômenos nos últimos 40 anos.

Cadastre-se em nossa newsletter

Publicidade
Publicidade


Leia mais:

Imagem de destaque
AULAS GRATUITAS

EJA: CCI Leste está com inscrições abertas para idosos acima de 60 anos em Londrina

Imagem de destaque
JARDIM BANDEIRANTES

Londrina: EJA tem matrículas abertas no CCI Oeste para idosos acima de 60 anos

Imagem de destaque
Prova em maio

Vestibular 2024.2 da UTFPR oferta 4.219 vagas em 106 cursos; inscrições começam em 26 de fevereiro

Imagem de destaque
Confira!

Concurso da prefeitura de Londrina divulga cargos e banca organizadora

Cientistas sugerem criar categoria 6 para escala para medir furacões, que atualmente vai de 1 (mais fraco) a 5 (mais forte). A publicação na íntegra está disponível na revista científica Pnas (em inglês).

Publicidade


Escala é usada desde os anos 1970, e classifica como nível 5 todos os ciclones tropicais com ventos que atingem mais de 250 km/h. Os autores sugerem limitar a categoria 5 à furacões que vão de 252 a 309 km/h, e criar a 6 para os que chegarem a velocidades ainda maiores.


O estudo analisou todos os furacões de nível 5 de 1980 a 2021, e verificou que ao menos cinco excediam em muito a velocidade máxima prevista pela escala. O mais forte foi o furacão Patrícia, que aconteceu no Leste do Pacífico em 2015, com ventos que chegaram a 345 km/h.

Publicidade


Outros fenômenos citados foram os furacões Surigae (2021), Goni (2020), Meranti (2016) e Hayian (2013) -este último, o mais mortal desde o século 19, quando o sistema de alarmes era muito mais rudimentar. Na ocasião, ventos de 315 km/h devastaram o sudeste asiático, particularmente as Filipinas, onde 6.300 pessoas morreram.


Os cientistas também mostram que esses fenômenos estão ficando cada vez mais frequentes. De todos os 197 ciclones tropicais de nível 5 registrados nos últimos 42 anos, metade aconteceram nos últimos 17.


"O recorde de velocidade dos ventos provavelmente continuará sendo batido, conforme o planeta aquece", escreveram os autores Michael Wehner e James Kossin, das universidades norte-americanas de Berkeley e Wisconsin-Madison.


Imagem
Especialista dá dicas sobre Concurso Nacional Unificado
Do total de 6.640 vagas em 21 órgãos federais, ofertadas no CNU (Concurso Nacional Unificado), 1.875 são para pessoas com formação superior em “qualquer área de conhecimento”.
Publicidade

Últimas notícias

Publicidade