02/07/20
19º/LONDRINA
PUBLICIDADE
Londrina

Escolas particulares querem acordar descontos na mensalidade diretamente com os pais

As escolas particulares de Londrina vão propor ao Procon-LD (Núcleo de Proteção ao Consumidor de Londrina) e à promotoria de defesa dos direitos dos consumidores uma forma de conceder descontos aos pais de alunos de acordo com a capacidade financeira da família e da instituição de ensino.

iStock
iStock


A proposta foi apresentada pelo Sinepe (Sindicato das Escolas Particulares) aos dois órgãos em reunião na tarde desta segunda-feira (25), em resposta às recomendações expedidas por ambas para que as instituições de ensino concedessem um desconto de 30% no valor das mensalidades e que não executassem eventuais multas nas rescisões de contratos.

O coordenador do Procon, Gustavo Richa, explica que a recomendação foi emitida após o MP (Ministério Público) do Alagoas conseguir a redução das mensalidades escolares naquele Estado e por haver uma proposta de aplicação do desconto em todas as instituições tramitando no Senado Federal. "Além disso, houve reclamações de pais de alunos que tentaram negociar com as escolas e não obtiveram resposta”, conta.

Segundo o diretor do Sinepe, Alderi Luiz Ferraresi, um desconto linear prejudicaria o funcionamento das escolas menores, justamente as infantis, que têm menor número de alunos. "O Ensino Infantil, que não é obrigatório, tem o maior volume de alunos sendo transferidos para a rede municipal, que não tem capacidade de absorver todos”, afirma.

A proposta deve ser entregue aos dois órgãos fiscalizadores na próxima segunda-feira (31). Até lá, as escolas particulares devem discutir como conceder os descontos. Gustavo Richa concordou que há instituições para quais uma redução de 30% nas mensalidades é muito pesada, enquanto há outras maiores para as quais o percentual não é tão prejudicial.

Ferraresi tem outros pontos a indicar a complexidade do caso para uma aplicação de desconto linear. "Tem escola que está dando aulas on-line, com conteúdo de boa qualidade. Mas o ensino a distância é impossível no ensino infantil. Além disso, após o retorno das atividades presenciais, vai haver reposição no contraturno e nos fins de semana, também mais difíceis quando se trata desta faixa etária. Por isso, houve o bom senso do MP e do Procon em entender a situação”, diz.

Para ele, um desconto acordado entre pais e escolas, baseado no bom senso de ambas as partes, pode conter ou reduzir a evasão de alunos.
Luís Fernando Wiltemburg - Grupo Folha
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Conteúdo relacionado:
400 vagas abertas
Inscrições para concurso da Polícia Civil vão até 2 de junho
Segundo semestre
Sisu oferecerá bolsas de estudo de ensino a distância
Trancamento da matrícula
Pandemia pode tirar 484 mil alunos do ensino superior no país, projeta Semesp
Continue lendo
Ensino público
Desigualdades e baixo aprendizado são os maiores desafios na educação
02 JUL 2020 às 15h14
Enquete
Maioria quer Enem em maio de 2021, mas MEC vai consultar entidades antes de definir datas
02 JUL 2020 às 10h28
Profissão
Enfermagem: relato de quem abraça a missão de cuidar do outro
01 JUL 2020 às 17h20
Resultado da enquete
Inscritos no Enem querem prova em maio de 2021
01 JUL 2020 às 14h35
Ensino superior
UEL retoma calendário acadêmico com aulas 100% não presenciais
29 JUN 2020 às 18h03
Dispositivo individual
Uerj desenvolve aparelho que detecta carga de coronavírus no ambiente
29 JUN 2020 às 16h09
Veja mais e a capa do canal
JORNAIS
Folha de Londrina
TELEVISÃO
MultiTV Cidades
OUTRAS EMPRESAS
Grafipress
RSS - Resolução máxima 1024x728 - () - Bonde - Todos os direitos reservados