01/08/21
PUBLICIDADE
Formação em políticas públicas

Programa destinará 12 mil bolsas de qualificação a artistas e produtores culturais paranaenses

Jonathan Campos
Jonathan Campos


Artistas, produtores e trabalhadores de diferentes áreas da cultura do Paraná terão acesso a bolsas para formação em políticas públicas culturais, que vão fortalecer o trabalho do setor, um dos mais atingidos pela pandemia da Covid-19. O programa Bolsa Qualificação – Lei Aldir Blanc 2021 foi lançado nesta quarta-feira (22), em Curitiba, pelo governador Carlos Massa Ratinho Junior e vai atender 12 mil pessoas, que receberão R$ 3 mil cada para participar do curso de extensão, movimentando R$ 36 milhões.

Na solenidade, realizada no Teatro Guaíra, com transmissão pelo Youtube, foram lançadas duas iniciativas: o Bolsa Qualificação e a Paraná Cultura, plataforma multimídia que reúne conteúdos produzidos por artistas paranaenses durante a pandemia.

"Com o programa Bolsa Qualificação, nossos artistas, músicos, atrizes, atores, artistas circenses e profissionais que trabalham nos bastidores dos espetáculos terão acesso a um curso de qualificação, que vai contribuir para que as ideias desses profissionais possam ser colocadas no papel”, afirmou o governador. "Com isso, eles terão mais facilidade para captar recursos para seus projetos e espetáculos, tanto na iniciativa privada como também nos editais públicos de incentivo à cultura”, afirmou Ratinho Junior.

Uma das etapas da Lei Aldir Blanc, que prevê auxílio financeiro ao setor cultural brasileiro durante a pandemia, o programa de qualificação vai oferecer 12 mil bolsas de R$ 3 mil, divididas em três parcelas de R$ 1 mil. Paralelamente, os contemplados devem participar das aulas ofertadas pela UEPG (Universidade Estadual de Ponta Grossa) na modalidade de EaD (ensino a distância). A distribuição das vagas será proporcional à população de cada macrorregião paranaense.

"Nosso objetivo é promover um profundo assessoramento e muito conhecimento técnico, aliado ao apoio financeiro que é essencial para o momento crítico que estamos atravessando. Este é o maior e mais completo programa de qualificação cultural do País”, afirmou a superintendente estadual da Cultura, Luciana Casagrande Pereira.

Gestão de Projetos - O secretário estadual da Comunicação Social e da Cultura, João Debiasi, salientou que os profissionais estarão mais qualificados para gerir projetos com o retorno da agenda cultural após a fim da pandemia. "Os profissionais poderão formatar projetos que sejam mais competitivos na aquisição de recursos. Há diversas plataformas de incentivo e fomento à cultura, mas muitas vezes os projetos não estão elaborados de uma forma atrativa”, explicou.

"A capacitação tem esse objetivo e também vai contribuir com a gestão de seus projetos e negócios. É um investimento na cultura enquanto atividade econômica, que gera milhares de empregos e movimenta um grande público no Paraná”, acrescentou Debiasi.

Qualificação – O curso de extensão tem carga horária de 120 horas, divididas em três módulos de 40 horas cada. O primeiro módulo, que trata da formação em políticas de incentivo à cultura, é comum e obrigatório a todos os contemplados. "Os artistas têm boas ideias, mas muitas vezes têm dificuldade de colocar no papel para acessar os editais de incentivo. Essas primeiras 40 horas são para aperfeiçoar a elaboração de projetos”, explicou Luciana Casagrande.

Os módulos seguintes serão voltados para a área de atuação de cada participante, e os conteúdos foram divididos entre Artes Visuais; Audiovisual; Circo; Dança; Literatura, Livro e Leitura; Música; Ópera; Povos, Comunidades Tradicionais e Culturas Populares; Teatro e Técnicos que atuam na cadeia produtiva da cultura.

Os participantes assistirão a aulas gravadas e receberão assistência de facilitadores da UEPG. As inscrições serão abertas após a assinatura do decreto que regulamenta o programa. Para se inscrever, o participante precisa comprovar o vínculo com a área da cultura. Todo o processo será feito de forma descomplicada e desburocratizada.

Universidades - O superintendente estadual de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Aldo Bona, destacou a contribuição das universidades estaduais em fomentar diferentes áreas do conhecimento, contribuindo com a formação em todas as regiões do Paraná. "A UEPG conta com uma larga experiência em educação a distância, são 20 anos de atuação na modalidade, e também na formação de pessoas na área de produção cultural”, explicou. "Com esse curso, os trabalhadores da cultura poderão melhorar sua qualificação profissional, para aperfeiçoar a captação de recursos e a gestão de projetos”.
Redação Bonde com AEN
PUBLICIDADE
Continue lendo
Relatório cita as dificuldades

Mais vulneráveis à Covid, doentes crônicos enfrentam barreiras para boa assistência

01 AGO 2021 às 10h00
Veja os dados do estudo da FGV

Licença para homem diminuiria abandono de carreira de mulheres após maternidade, diz economista

31 JUL 2021 às 10h00
Saiba como solicitar!

UEM abre mais de 1,1 mil vagas remanescentes para ingresso em 2021

30 JUL 2021 às 17h36
Maioria não toma precauções!

O jovem está se preparando para aposentar? Especialista dá dicas para ter uma previdência tranquila

30 JUL 2021 às 15h42
Acompanhe pelo YouTube!

Seminário gratuito sobre Paulo Freire reúne professores e pesquisadores da educação

30 JUL 2021 às 15h20
Hora de se preparar!

Ano letivo 2021 da UEL em formato remoto começa segunda-feira com recepção aos ingressantes

30 JUL 2021 às 15h14
Veja mais e a capa do canal
JORNAIS
Folha de Londrina
TELEVISÃO
MultiTV Cidades
OUTRAS EMPRESAS
Grafipress
RSS - Resolução máxima 1024x728 - () - Bonde - Todos os direitos reservados