09/04/20
32º/19ºLONDRINA
PUBLICIDADE
|
Turma da Mônica

Mauricio de Sousa vai autografar nova revista sobre distrofia de Duchenne

O Dia Mundial da Distrofia Muscular de Duchenne (DMD) é celebrado em todo 7 de setembro e, para comemorar a data, a Mauricio de Sousa Produções vai lançar no domingo (8) a terceira edição da revista que fala sobre a doença. O evento ocorre na 19ª Bienal Internacional do Livro do Rio e Mauricio de Sousa estará presente para autografar os materiais que serão distribuídos gratuitamente.

Divulgação
Divulgação


A primeira revista, lançada em março, mostrou a chegada do personagem Edu, de nove anos, à escola onde os personagens do bairro do Limoeiro estudam. O menino convive com DMD e os novos amigos tiveram de aprender sobre sua condição.

Na segunda revista, lançada em agosto, Edu fala de seus medos de tomar remédios e usar cadeira de rodas no futuro, uma vez que a doença rara e genética é caracterizada pela deterioração muscular progressiva.

Neste novo material, a mãe de Edu faz uma palestra sobre DMD em uma associação de pacientes e, na escola, as crianças participam de uma mostra cultural. Na ocasião, Mônica expressa quão importante é ter o recém-aluno como seu amigo.

No próximo domingo, a partir das 11 horas, a revista será distribuída gratuitamente no estande da MSP 60 anos, no pavilhão laranja, com sessão de autógrafos do cartunista Mauricio de Sousa.

Sobre a distrofia muscular de Duchenne

A DMD é uma das milhares de doenças raras que existem no mundo, sendo que a estimativa é de seis a oito mil tipos. De origem genética, ela afeta principalmente meninos e é a distrofia muscular mais frequente na infância.

Alguns sinais básicos que podem indicar a doença são atraso no desenvolvimento motor, não andar entre 16 e 18 meses, atraso da fala e hipertrofia de panturrilha. Essa última característica, inclusive, é perceptível nos quadrinhos da Turma da Mônica.

Outra indicação de DMD que pode ser verificada em casa, na escola ou no consultório é o sinal de Gowers, manobra em que a criança usa as mãos para "escalar" o próprio corpo a partir de uma posição agachada, porque não tem força muscular no quadril e nas coxas.

Além dos sinais clínicos, é importante solicitar um exame de sangue para analisar os níveis de CK, enzima que é liberada no sangue quando os músculos estão danificados. Taxas extremamente altas, acima de dois mil, indicam distrofia.
Agência Estado
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Continue lendo
Será que os fãs gostaram?
Maluma divulga número de celular e pede para que fãs mandem mensagens
08/04/2020 17:27
Wanna Talk About It
Estrelas da Netflix farão programa sobre saúde mental via rede social
08/04/2020 16:29
Alta médica
Fernanda Paes Leme se emociona ao sair de casa após se recuperar
08/04/2020 15:25
No Youtube
Lucas Lucco lança projeto musical para quarentena
08/04/2020 14:11
Relação traumática
Johnny Depp diz que teve dedo cortado pela ex-mulher Amber Heard
08/04/2020 11:08
Veja mais e a capa do canal