Pesquisar

Canais

Serviços

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Educação Básica

Índice de qualidade da educação será de 6 pontos

Ministério da Educação
28 mar 2007 às 15:34
siga o Bonde no Google News!
Publicidade
Publicidade

O ministro da Educação, Fernando Haddad, anunciou nesta terça-feira (27), após audiência pública na Câmara dos Deputados, que o Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) fixado para o Brasil será de seis pontos, numa escala de zero a dez. As metas de qualidade da educação serão apresentadas no Plano de Desenvolvimento da Educação (PDE), que deve ser lançado em abril.

"O índice do país vai ser fixado em seis, que é a média que os países da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) teriam nessa escala", disse o ministro. Atualmente, o Brasil pode receber uma média perto de quatro pontos, segundo os estudos elaborados pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep/MEC).

Cadastre-se em nossa newsletter

Publicidade
Publicidade


De acordo com o ministro, cada município, estado e todo o país terão uma meta fixada que deve ser atingida para garantir a qualidade do ensino básico. "A meta nacional tem um caráter simbólico muito grande, mas não é a mais importante. A mais importante é o conjunto das metas necessárias para que o país consiga atingir uma média compatível a de um país desenvolvido", explicou.

Leia mais:

Imagem de destaque
Primeira edição

Londrina tem exposição de carros antigos em comemoração ao Dia Mundial do Fusca

Imagem de destaque
Arraiá na zona rural

Festa Junina da Parada do Limoeiro em Londrina será neste sábado (15)

Imagem de destaque
Sorteio

Bruno Mars fará show exclusivo para quem doar ao Rio Grande do Sul

Imagem de destaque
Sessão gratuita

Clássico de Zé do Caixão é exibido no Cineclube Alma de Londrina nesta quinta


Na avaliação de Haddad, a previsão é que o Brasil atinja a meta nacional em 2021, já que uma mudança eficiente na qualidade do ensino deve ser feita a partir de uma geração inteira. Segundo o ministro, é preciso levar em consideração o nível atual dos estados e municípios e pedir uma resposta compatível com seu ponto de partida. "É ilusório imaginar que uma cidade muito pobre, com indicador de qualidade entre 1,5 e 2 possa chegar a um patamar de primeiro mundo em 15 anos", analisa.

Criada em 1961, a OCDE é composta por 30 países desenvolvidos, entre eles Alemanha, Austrália, Canadá, Coréia do Sul, Estados Unidos, Suécia, Itália e França.


Publicidade

Últimas notícias

Publicidade