Pesquisar

Canais

Serviços

- Ricardo Chicarelli/Londrina EC
Continua depois da publicidade
Continua depois da publicidade
'Multiuso'

Londrina tem formações e esquemas diferentes nos jogos comandados por Adilson Batista

Lucio Flávio Cruz - Grupo Folha
12 abr 2022 às 07:23
Continua depois da publicidade

Apesar do pouco tempo de trabalho, o torcedor do Londrina já começa a se acostumar com a maneira do técnico Adilson Batista conduzir o time. O treinador tem promovido surpresas nas escalações e realizado modificações táticas na equipe ao longo do próprio jogo. Na estreia da Série B, na vitória por 2 a 0 sobre o Náutico, o técnico mandou a campo um time com três zagueiros e terminou a partida sem nenhum atacante.

Continua depois da publicidade
PUBLICIDADE


Em pouco mais de um mês no clube, Adilson Batista dirigiu o LEC em três jogos oficiais e escalou três formações diferentes. Na primeira partida, contra o Athletico, pelas quartas de final do Paranaense, a novidade foi a escalação do lateral Eltinho no meio-campo e a manutenção de três atacantes. Eltinho marcou o gol da vitória por 1 a 0. 

Continua depois da publicidade


No jogo da volta na Arena da Baixada, sem poder contar com Caprini, que estava suspenso, Batista escalou o volante Jean Henrique e abriu mão do terceiro atacante. O Alviceleste perdeu por 2 a 1 e depois foi desclassificado nos pênaltis. Na abertura do Brasileiro, o treinador optou pelo jovem zagueiro nigeriano Samuel Oti, que jogou ao lado de Saimon e Augusto. 


Em muitos momentos, o time se defendeu com uma linha de cinco e, no segundo tempo, o treinador sacou Oti e colocou o volante Marcinho, posicionando a equipe no 4-4-2. Com as demais alterações, o Londrina terminou o jogo com os meias Gabriel Honório e Mossoró sendo os homens mais avançados em campo. 

"O time está treinado para jogar de várias maneiras sem alterar as peças. Com a mesma formação, tivemos dois posicionamentos diferentes. Mesmo errando, viramos a chave e o time melhorou", ressaltou o treinador após a vitória contra o Náutico. "A escolha pelo Samuel foi pela força que vimos nele. Ele tem as valências que a competição exige. E algumas coisas que eu vi no jogo que precisava mudar e deu certo". 

Continua depois da publicidade


Leia mais na Folha de Londrina.

Veja mais vídeos sobre esportes

Continue lendo

Últimas notícias

Publicidade