Pesquisar

Canais

Serviços

Publicidade
Publicidade
Relações internacionais

Palmeiras investe R$ 30 mi anuais e vê base invadir 1ª prateleira europeia

Flavio Latif - UOL/Folhapress
27 mai 2024 às 16:00
- Cesar Greco/Palmeiras
Publicidade
Publicidade

O Palmeiras está próximo de vender Estêvão ao Chelsea em um negócio que pode atingir até 65 milhões de euros (R$ 363 milhões, na cotação atual). O valor que joia palmeirense deve atingir simboliza a nova era da base alviverde, que cada vez mais exporta atletas para as principais ligas europeias.

Cadastre-se em nossa newsletter

Publicidade
Publicidade


EVOLUÇÃO DESDE 2015

Leia mais:

Imagem de destaque
Revitalização da região

Rio de Janeiro desapropria imóvel para construir estádio do Flamengo

Imagem de destaque
Show no Rock in Rio Lisboa

Camila Cabello confunde expressão de Cristiano Ronaldo com vaias

Imagem de destaque
Brasil

Vini Jr gosta de jogo grande e tem Copa América para virar chave na seleção

Imagem de destaque
Balanço

Para Abel, Palmeiras melhorou sem Endrick e cia., mas Dudu terá de remar


Tudo começou em 2015, com a chegada de João Paulo Sampaio à Academia de Futebol. Ele foi escolhido como o novo coordenador da base palmeirense por Paulo Nobre e Alexandre Mattos para a reformulação das categorias de base palmeirenseA missão era melhorar a estrutura e aumentar a grande rede de captação de talentos.

Publicidade


Em um primeiro momento, as crias da Academia de Futebol serviram para a manutenção do investimento no time profissional. Eram comuns negócios com equipes de menor prestígio em Portugal ou mercados alternativos, como Ucrânia e Japão. Isso mudou com a chegada de Anderson Barros, e os jovens passaram a colaborar com rendimento esportivo: atualmente, um terço do elenco principal do Palmeiras é cria da base.


A venda que "inaugurou" essa nova era da base palmeirense aconteceu em 2016, quando o clube negociou Gabriel Jesus com o Manchester City por R$ 121 milhões -o Alviverde ficou com R$ 70 milhões e passou outra impressão sobre seu trabalho na base. Antes, a última exportação para a Premier League havia acontecido em 2008, quando o clube vendeu Diego Cavalieri para o Liverpool por R$ 9,5 milhões.

Publicidade


Depois, o meio-campista Danilo chamou a atenção do Nottingham Forest, que pagou R$ 110 milhões pelo jogador. Tudo indica que Estêvão é o próximo que deve desembarcar na Inglaterra quando completar seus 18 anos.


A cereja do bolo foi a venda de Endrick para o Real Madrid. O clube merengue pagou 35 milhões de euros fixos (R$ 198 milhões na cotação da época), além de 25 milhões de euros (R$ 141 milhões) em bônus para fechar a aquisição do atleta em 2022. Ele completará a transferência no meio do ano, após completar a maioridade.

Publicidade


Na era JP Sampaio, o Palmeiras já arrecadou mais de R$ 1,1 bilhão em vendas de atletas formados na base.


EUROPA MANTÉM CONTATO CONSTANTE COM O PALMEIRAS

Publicidade


O Palmeiras estima que gasta cerca de R$ 30 milhões anuais com as categorias de base. Valor que se paga toda temporada com a venda de jogadores formados na Academia de Futebol.


Muitos atletas acabam deixando o clube sem receber oportunidades, mas mesmo assim o Alviverde consegue vendê-los ou liberá-los mantendo parte dos direitos econômicos para ser recompensado pelo investimento que fez.


Hoje, o mercado vê o Palmeiras como um dos melhores centros de formação de atletas do futebol sul-americano pelo histórico recente.


Diferentes clubes europeus estão em contato constante com o setor de Análise de Mercado do clube ou assistindo jogos dos times da base e elenco profissional.


Imagem
Endrick prepara presente para funcionários do Palmeiras; veja detalhes
O atacante Endrick preparou um presente especial para entregar aos funcionários do Palmeiras antes de sua despedida no clube.
Publicidade
Publicidade

Continue lendo

Últimas notícias

Publicidade