Pesquisar

Canais

Serviços

Ansa
Continua depois da publicidade
Continua depois da publicidade
Mangia che te fa bene

Consumo de massa quase dobrou em 10 anos, diz estudo da Itália

Ansa Brasil
26 out 2021 às 12:27
Continua depois da publicidade

Um estudo da Itália revelou que o consumo de massa, um dos pratos mais tradicionais do país europeu, dobrou no mundo nos últimos 10 anos - período entre 2010 e 2020 -, passando de 9 para cerca de 17 milhões de toneladas por ano.

Continua depois da publicidade
PUBLICIDADE


Os números e as tendências do prato simbólico da cozinha italiana foram divulgados pelo fabricantes de massas da Unione Italiana Food por ocasião do "Dia Mundial da Pasta", celebrado mundialmente na segunda-feira (25).

Continua depois da publicidade
Continua depois da publicidade


De acordo com a pesquisa, o ranking de consumo é liderado pelos italianos, já que cada cidadão consome mais de 23kg de pasta por ano. Na sequência aparecem os tunisianos (17kg), venezuelanos (15kg) e os gregos (12,2 kg).


No geral, um em cada quatro pratos de massas consumidos em todo o mundo é originário da Itália e com 3,9 milhões de toneladas de massas produzidas pelas fábricas de pastas do país. Com isso, a Itália se confirma como líder mundial na produção de massas, à frente dos Estados Unidos, Turquia, Egito e Brasil.


A Itália também se mantém como referência em produção (3,9 milhões de toneladas) e exportação (2,4 milhões de toneladas).

Continua depois da publicidade


Segundo a Unione Italiana Food, mais da metade da produção italiana (62%) vai para o exterior. Os países para os quais a Itália mais exporta são Alemanha, Reino Unido, Estados Unidos, França e Japão, enquanto aqueles de onde vêm as atuações mais importantes em 2020 são China, Canadá, Espanha e Arábia Saudita.


De janeiro a julho de 2020, a exportação de massas registrou uma queda de 9,4%, mas em comparação com o mesmo período de 2019, na época "pré-Covid", houve um aumento de 13%.


Já em relação aos volumes exportados de pastas alimentícias, os cinco mercados mais estratégicos são Alemanha (+6%), França (+2%), Japão (+4%), Estados Unidos (+10%), e o Reino Unido (-4%), que tem o único valor negativo em relação a 2019, consequência do Brexit.


O setor italiano de massas tem quase 120 empresas, mais de 10,2 mil funcionários e gera um valor de 5,6 bilhões de euros.

Continue lendo