05/07/20
25º/13ºLONDRINA
PUBLICIDADE
Proteja-se!

Cachorro e gato: veja o que pode e o que não pode em tempos de coronavírus

Áreas isoladas, eventos cancelados, escolas fechadas, trabalhadores em home office. A pandemia de coronavírus deixa dúvidas e a quarentena afeta o dia a dia também dos pets.

Reprodução/Pixabay
Reprodução/Pixabay


Se a recomendação é não sair de casa, e o isolamento social é regra para conter o vírus entre os humanos, como ficam as brincadeiras com os bichos, os lambeijos, as voltinhas?

Segundo o CFMV (Conselho Federal de Medicina Veterinária), passeios curtos podem ser mantidos, desde que sejam curtos, longe de aglomerações em parques ou praças e estejam asseguradas as medidas de higiene.

A OMS (Organização Mundial da Saúde) afirma que não há evidências de que cães, gatos ou outro animal de estimação possam transmitir a Covid-19 e que continua monitorando pesquisas. Ainda assim, a orientação é para que pessoas que contraíram a doença evitem contato direto com seus pets e façam quarentena de convivência com eles.

Isso porque o tutor ou outro infectado, ao espirrar ou tossir, pode espalhar partículas com vírus sobre os pelos. Se alguém brincar com o animal e levar as mãos ao rosto em seguida fica exposto ao Sars-Cov-2. Assim, de acordo com o CFMV, não há garantia de que não haverá transmissão se alguém tocar na pelagem contaminada.

Enquanto não houver medidas restritivas mais drásticas e os passeios ao ar livre estiverem garantidos, é importante limpar as patinhas e os pelos do cachorro logo após a voltinha ou pet park para evitar que o vírus tenha uma porta de entrada por essas áreas, afirma a veterinária Adriana Souza dos Santos, clínica geral da AmahVet, em São Paulo.

Tyson, 4, e Ronda, 2, ambos da raça buldogue francês, já perceberam que algo está mudando no dia a dia. A tutora, Walena Guergik, afirma que mantém os passeios diários, mas reduzidos, e incorporou o álcool em gel às saídas, para sua proteção. "O tempo [do passeio] diminuiu bastante. Só uma voltinha mesmo na região e nada de contato com outras pessoas. Além do cata-caca, agora o álcool em gel está sempre presente. E, chegando em casa, a limpeza das patas é imediata", afirma.

A veterinária recomenda, porém, que as pessoas sigam as orientações das autoridades e evitem sair de casa neste período em que os números de casos de coronavírus estão ascendentes no país.

Resultado do isolamento provocado pela Covid-19, cães e gatos ganharam a família por mais tempo dentro de casa. Se é impossível ficar sem dar e receber carinho dos pets, melhor aumentar o rigor na higiene.

"O que temos nos regrado é fazer higiene das mãos com muito mais frequência. É importante manter uma rotina saudável também para os animais que estão com a rotina alterada na quarentena e oferecer enriquecimento ambiental com chifres, cascos e recheáveis. É hora de estreitar laços e aproveitar pra ensinar novos truques ao seu melhor amigo", diz a tutora, que tem em casa também o gatinho Zen.
Lívia Marra - Folhapress
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Conteúdo relacionado:
Entenda
Saiba o que é o coronavírus canino e como proteger seu pet
Muito fofo!
Cachorro acompanha menino durante castigo; veja a foto
Cuide do seu pet!
Confira 6 dicas para deixar seu gato mais protegido em casa
Continue lendo
Muito fofos!
Cachorro e bebê fazem bagunça juntos; assista ao vídeo!
03 JUL 2020 às 11h01
Só no 1º semestre
400 animais form resgatados pela Polícia Civil em 2020
03 JUL 2020 às 10h22
Falta de habitat
Aquecimento global pode trazer mais riscos aos peixes do que se imaginava, aponta pesquisa
03 JUL 2020 às 08h21
Assista ao vídeo!
Leopardo e cachorro constroem amizade incrível na África do Sul
02 JUL 2020 às 10h55
Friozinho
Pets sentem mais fome no inverno? Descubra!
02 JUL 2020 às 09h57
Muito queijo sim!
Que fome! Cachorra é flagrada lambendo pizza da tutora; veja o vídeo!
01 JUL 2020 às 11h26
Veja mais e a capa do canal
JORNAIS
Folha de Londrina
TELEVISÃO
MultiTV Cidades
OUTRAS EMPRESAS
Grafipress
RSS - Resolução máxima 1024x728 - () - Bonde - Todos os direitos reservados