Pesquisar

Canais

Serviços

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Chegada do outono

Frio e baixa umidade podem prejudicar a saúde de cães e gatos

Reportagem Local
26 abr 2024 às 00:00
- Reprodução/Canva
siga o Bonde no Google News!
Publicidade
Publicidade

Com a chegada do outono e temperaturas mais baixas, é essencial estar atento aos cuidados para proteger os cães e gatos. O tempo frio e seco costuma gerar o aumento da incidência de alterações respiratórias, oftalmológicas e dermatológicas nos pequenos animais. 


O professor de Medicina Veterinária do CEUB (Centro Universitário de Brasília), Bruno Alvarenga cita dicas importantes para garantir o bem-estar dos pets nesse período.

Cadastre-se em nossa newsletter

Publicidade
Publicidade


Com maior incidência de baixa em sua produção lacrimal, raças como o Shih-tzu, Lhasa Apso, Yorkshire, Pug e Buldogue Francês estão mais propensas a alterações oftálmicas nesta época, explica Alvarenga. 

Leia mais:

Imagem de destaque
Tragédia

Polícia indicia 7 funcionários e Cobasi por morte de animais em lojas inundadas em Porto Alegre

Imagem de destaque

Guia brasileiro conta com 19 novas profissões; ufólogo e condutor de cães estão na lista

Imagem de destaque
Crueldade

PCPR procura responsável por esfaquear cavalo em Cruzeiro do Oeste

Imagem de destaque
Vingança?

Nattanzinho resgata cachorros e tenta 'sequestrar' vaca de Henrique e Juliano


“Porém, independentemente da raça, o tutor deve ficar atento a olhos avermelhados, coçando, com aumento de secreção ou dificuldade para os manter abertos. São sinais de que algo está errado".

Publicidade


Já as alterações respiratórias são comuns em animais mais velhos e em raças braquicefálicas. Em virtude das baixas temperaturas, o ressecamento do ar e o aumento de partículas suspensas costumam repercutir em alterações de ruídos respiratórios, dificuldade para respirar, secreção nasal, perda de apetite e redução da atividade do pet. 


"Para amenizar essas alterações, vale utilizar humidificadores de ambiente e estimular a ingestão de água, seja aumentando o número de potes, oferecendo água gelada ou com gelo, disponibilizando picolés de frutas, e o uso de fontes circulatórias de água."

Publicidade


Quanto às alterações dermatológicas, o médico veterinário afirma que o clima pode ocasionar a perda de pelo, coceiras e vermelhidão da pele. 


Segundo Alvarenga, em muitos animais, essas ocorrências podem ser evitadas aumentando o intervalo entre os banhos e utilizando produtos veterinários de qualidade. Alvarenga considera essencial manter a casa limpa e evitar exposição à poeira, que pode causar alergias e problemas dermatológicos nos animais.


Leia a reportagem completa na FOLHA DE LONDRINA:


Imagem
Cães e gatos podem sofrer com frio e baixa umidade
A chegada do outono traz cuidados importantes para proteger cães e gatos no frio e seco. Dicas de um professor de Veterinária para garantir o bem-estar dos pets, como humidificadores de ambiente, estimular a ingestão de água e evitar a exposição à poeira. Se houver alterações no animal, busque atendimento veterinário. A sensação térmica é diferente para cada animal, então é importante garantir um local seguro e confortável, com cama, cobertor ou roupas para protegê-los do frio. Tosa não é recomendada, pois os pelos são termoprotetores.
Publicidade

Últimas notícias

Publicidade