Pesquisar

Canais

Serviços

- Reprodução/Pixabay
Continua depois da publicidade
Incômodo para mulheres

Diástase abdominal: saiba o que é e como identificar

Redação Bonde com Assessoria de Imprensa
22 out 2019 às 08:31
Continua depois da publicidade

A diástase abdominal se caracteriza pela separação dos feixes do músculo reto-abdominal na região central do abdômen. Os principais fatores que causam a diástase são: obesidade, flacidez dos músculos abdominais e gestação. Durante a gravidez, os músculos e tecidos do abdômen se distendem para abrir espaço para o bebê se desenvolver e, com isso, é muito comum que eles não voltem completamente para o lugar depois do parto.

Continua depois da publicidade
PUBLICIDADE

De acordo com Marcelo Olivan, cirurgião plástico do Hospital das Clínicas da USP (Universidade de São Paulo), a diástase não provoca desconforto ou dor, mas a distensão excessiva pode interferir na capacidade da musculatura abdominal em estabilizar o tronco, gerando maior predisposição ao desenvolvimento de dor lombar. Em alguns casos, pode vir acompanhada de hérnia umbilical.


Para corrigir esse problema, a cirurgia pode ser indicada para realinhar a musculatura, afirma o profissional. Por meio da abdominoplastia é realizada a amarração dos músculos para que eles se reaproximem. Caso haja necessidade, pode-se realizar na mesma cirurgia a redução da gordura localizada e a eliminação do excesso de pele, da flacidez e das estrias da região abdominal.


Para saber se você tem diástase, o cirurgião plástico recomenda: deite no chão e flexione o tronco levemente até ficar em um ângulo de 45 graus. Quando estiver nessa posição, passe a mão sobre o abdômen e verifique se há a presença de um pequeno espaço separando os dois lados da musculatura abdominal.


É importante lembrar que as mamães que pretendem começar um programa de exercícios pós-parto devem controlar a ansiedade, se recuperar adequadamente e focar no assoalho pélvico, no fortalecimento do "core" e no alinhamento da postura com exercícios de baixo impacto adaptados para o pós-parto, de acordo com os especialistas.

Continua depois da publicidade


Alguns exercícios convencionais de fortalecimento da musculatura profunda do abdome podem agravar a diástase abdominal. O treino pós-parto tem que ser desenhado levando isto em consideração, focando na recuperação e no fechamento da diástase abdominal de forma segura ou, ao menos, não agravar a situação.

Por isto, é fundamental verificar o abdome e, caso haja diástase, concentrar os esforços na recuperação. Mesmo com exercícios físicos e dieta saudável, o organismo pode não se recuperar completamente, e isto ocorre especialmente em quem passa por mais de uma gestação, finaliza o médico.


Compartilhar nas redes:

Continue lendo

Últimas notícias

Publicidade