Pesquisar

Canais

Serviços

Publicidade
Será ressarcida

Mulher de 33 anos descobre que não tinha câncer após dois anos de tratamento

UOL/Folhapress
20 out 2023 às 19:41
- Reprodução
siga o Bonde no Google News!
Publicidade
Publicidade

Uma inglesa de 33 anos fez dois anos de tratamento após ser diagnosticada com câncer de pele e esta semana conseguiu um acordo extrajudicial para ser ressarcida após descobrir que, na realidade, nunca teve a doença.


A maquiadora de teatro Megan Royle, que mora em Londres, na Inglaterra, foi diagnosticada com câncer de pele em 2019 por médicos do Chelsea & Westminster Hospital.

Cadastre-se em nossa newsletter

Publicidade
Publicidade


Os médicos identificaram uma verruga em seu braço, que afirmaram ser melanoma. Ela foi então encaminhada para a unidade especializada em câncer do The Royal Marsden Hospital, em Londres.

Leia mais:

Imagem de destaque
Saiba como tratar

Incontinência urinária é mais comum em mulheres

Imagem de destaque
ORIENTAÇÕES DE CARDIOLOGISTA

Cardiopatia em crianças e adolescentes? Médica alerta para os sinais

Imagem de destaque
Noroeste do PR

Mandaguari inicia distribuição de medicamentos à base de canabidiol

Imagem de destaque
Veja os cuidados necessários

Onda de calor: atenção com a saúde das crianças deve ser redobrada


Como parte do tratamento, ela foi submetida a imunoterapia, congelou óvulos por conta do risco para a fertilidade e ainda teve que passar por uma cirurgia que deixou uma cicatriz com quase 20 centímetros no braço, segundo apurou a BBC.

Publicidade


Em 2021, Royle precisou se mudar e, consequentemente, alterou o local de tratamento. A equipe que a atendeu revisou seus exames e descobriu que ela nunca teve a doença.


Esta semana, a maquiadora conseguiu um acordo extrajudicial para ser ressarcida pelos anos de tratamento e os transtornos que acumulou desde o primeiro diagnóstico.

Publicidade


Seu advogado, Matthew Gascoyne, especializado em negligência médica, afirmou que o diagnóstico causou um "profundo impacto psicológico" em sua cliente, segundo apurou o canal de TV Sky News.


Em declaração ao jornal britânico The Independent, ela afirma que, apesar de sentir alívio em saber que não tinha câncer, suas emoções mais fortes foram de frustração e raiva.

Publicidade


"Você simplesmente não pode acreditar que algo assim possa acontecer, e até hoje não tive uma explicação de como e por que isso aconteceu. Passei dois anos acreditando que tinha câncer, passei por todo o tratamento e então me disseram que não havia câncer algum", disse Megan Royle, maquiadora.


Em comunicado encaminhado à Sky News, um porta-voz da Royal Marsden NHS Foundation Trust pediu desculpas: "Desejamos oferecer nossas sinceras desculpas a Megan Royle pela angústia causada por sua experiência em nosso hospital e estamos satisfeitos que um acordo tenha sido alcançado".


A North West London Pathology, parceira do Imperial College NHS Trust, também se pronunciou:  "Lamentamos profundamente a angústia causada a Megan Royle e pedimos desculpas sem reservas pelo erro cometido. Embora nenhum acordo compense o impacto que isto teve, estamos satisfeitos por ser alcançado um acordo".


Publicidade

Últimas notícias

Publicidade