Pesquisar

Canais

Serviços

Publicidade
Evitando cirurgias

Novo exame consegue diagnosticar doenças no tórax

Redação Bonde
18 jun 2009 às 14:17
siga o Bonde no Google News!
Publicidade
Publicidade

O Incor (Instituto do Coração do Hospital das Clínicas da FMUSP) inicia nesta semana estudo de introdução no país de nova tecnologia de diagnóstico em doenças localizadas no tórax. A ultrassonografia endobrônquica (Ebus – Endobronquial Ultrasound) é capaz de evitar cirurgias exploratórias, utilizadas no diagnóstico de doenças do pulmão, sistema linfático e demais estruturas da região. Reduz, dessa forma, riscos humanos e custos hospitalares próprios de um procedimento cirúrgico, diz Dr. Miguel Tedde, cirurgião torácico do Incor.

Dr. Armin Ernst, especialista em pneumologia intervencionista e médico da Harvard Medical School, nos Estados Unidos, fará demonstração da técnica a médicos brasileiros, ao lado de especialistas do Incor, nesta sexta-feira (19).

Cadastre-se em nossa newsletter

Publicidade
Publicidade


Os resultados da aplicação da tecnologia nos Estados Unidos e na Europa, segundo a Dra. Viviane Figueiredo, diretora do Serviço de Endoscopia Respiratória do Incor, mostram que a Ebus é um exame rápido e menos invasivo; portanto, com número menor de complicações decorrentes do procedimento.

Leia mais:

Imagem de destaque
Solução alternativa

Cinco chás que ajudam a regular desordens menstruais

Imagem de destaque
Não é mito

Episódio de raiva aumenta o risco de ataque cardíaco 40 minutos após o evento, mostra estudo

Imagem de destaque
Descoberta inovadora

Novo componente genético ligado ao Alzheimer é descoberto em estudo

Imagem de destaque
Ansiedade e estresse

Consumir conteúdos com velocidade aumentada pode impactar na saúde mental; entenda


Isso porque a ultrassonografia endobrônquica tem uma inovação que nenhum outro exame de diagnóstico por imagem possui: a de propiciar a coleta de material biológico para biópsia da doença sem a necessidade de abrir o tórax. A punção com a agulha, nesse caso, é guiada pela própria imagem do ultrassom.

Publicidade


Evolução


Ao permitir a realização de biópsias dos gânglios da região, a Ebus pode também substituir a mediastinoscopia – procedimento cirúrgico comumente empregado nos casos de câncer de pulmão, para diagnóstico e estudo da evolução da doença.

Publicidade


Em linhas gerais, o Ebus é um broncoscópio – aparelho de endoscopia respiratória com vídeo – acoplado em sua extremidade a um aparelho de ultrassom.


O exame

Publicidade


O exame assemelha-se a uma endoscopia respiratória rotineira feita por broncoscopia: duração de aproximada de 40 minutos, realizada em paciente sob sedação, em sistema ambulatorial.


O acesso do equipamento ao corpo ocorre, a exemplo da broncoscopia, pela vias aéreas: boca, garganta e traquéia.


O Ebus é utilizado com ótimos resultados no diagnóstico de diversos tipos de cânceres que afetam a região - como, por exemplo, o de pulmão.

Estima-se que surjam por ano no Brasil cerca de 20.000 novos casos de câncer de pulmão – 7.000 deles apenas em São Paulo. Aproximadamente 20% deles teriam indicação de fazer o exame ao invés de cirurgia exploratória.


Publicidade

Últimas notícias

Publicidade