Pesquisar

Canais

Serviços

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Saúde dos pequenos

Crianças até 4 anos correspondem a 95% dos casos de Vírus Sincicial Respiratório no Brasil

Redação Bonde com Assessoria de Imprensa
21 jul 2023 às 10:25
- Sumaia Villela/Agência Brasil
siga o Bonde no Google News!
Publicidade
Publicidade

Com a chegada do inverno, as preocupações dos pais aumentam à medida que dias mais secos e frios favorecem a circulação de vírus responsáveis por doenças respiratórias, como bronquiolite, gripe e pneumonia. 


Segundo o Ministério da Saúde, dados coletados e monitorados pela iniciativa Infogripe da FioCruz (Fundação Oswaldo Cruz) mostram que o VSR (Vírus Sincicial Respiratório) esteve presente em 30% dos casos de doenças respiratórias registradas no Brasil nos primeiros três meses de 2023, afetando principalmente bebês e crianças de 0 a 4 anos, com mais de 3,3 mil infecções nesse período.

Cadastre-se em nossa newsletter

Publicidade
Publicidade


Imagem
Paraná registra 5.923 novos casos de dengue e três mortes pela doença
A Sesa divulgou novo boletim semanal da situação da dengue no Paraná nesta terça-feira (18). No período de uma semana, o Paraná confirmou 5.923 novos casos de dengue e mais três mortes


O Vírus Sincicial Respiratório, considerado um dos principais agentes causadores de infecção aguda das vias aéreas inferiores, tem sido conhecido como o "vilão" predominante durante as estações outono e inverno. Contudo, estudos recentes revelaram uma mudança no padrão de circulação do vírus, agora também ocorrendo nos meses mais quentes do ano, o que exige atenção dos pais o ano todo.

Leia mais:

Imagem de destaque
Uma em SC

Ministério da Saúde investiga quatro mortes suspeitas de febre oropouche

Imagem de destaque
Melhor resposta epidemiológica

De janeiro a junho, Lacen processa 13.298 amostras de vírus respiratórios

Imagem de destaque
Atenção

Opas faz alerta sobre possível transmissão do vírus oropouche da mãe para o bebê

Imagem de destaque
Vivência do mountain bike

Alvo Bike terá palestra sobre alinhamento do corpo e da mente no ciclismo


Kelly Cristiane Milléo, especialista em Biomedicina da Faculdade Anhanguera, alerta que a baixa umidade do ar e mudanças bruscas de temperatura nesta época do ano são fatores que aumentam a incidência das doenças em crianças. 

Publicidade


Milléo destaca a importância de os pais observarem constantemente os sintomas das enfermidades, pois o VSR pode se assemelhar a um resfriado comum, mas pode evoluir para formas graves de bronquiolite e pneumonia, necessitando de hospitalização.


Imagem
Mais de 50 mil pessoas estão em fila por cirurgias eletivas no Paraná
A fila de espera por cirurgias é um antigo problema do SUS (Sistema Único de Saúde) que se agravou ainda mais durante a pandemia.


Para manter a imunização das crianças em alta, a professora Kelly Cristiane Milléo oferece cinco dicas essenciais:

Publicidade


Siga o cronograma de vacinação


Verifique o calendário de vacinação recomendado pelas autoridades de saúde e assegure-se de que seu filho receba todas as vacinas necessárias, incluindo as doses de reforço.

Publicidade


Consulte um médico regularmente


Leve seu filho para consultas médicas de rotina, exames de saúde e para verificar o status de imunização. O médico poderá fornecer orientações personalizadas sobre as vacinas e esclarecer dúvidas.

Publicidade


Imagem
Psicóloga dá 8 dicas práticas para lidar com a ansiedade no dia a dia
A ansiedade tem se tornado um problema recorrente, tanto em nível mundial quanto no Brasil.


Pesquise sobre a importância da vacinação


Busque informações confiáveis sobre as vacinas e sua relevância na prevenção de doenças, tomando decisões informadas e combatendo desinformações.

Publicidade


Promova um ambiente saudável


Mantenha ambientes limpos e livres de germes, incentivando hábitos saudáveis, como lavagem adequada das mãos, cobrir a boca ao tossir ou espirrar e evitar compartilhar utensílios pessoais.


Mantenha o cartão de vacinação em dia


Guarde e atualize o cartão de vacinação de seu filho em um local seguro, registrando as datas e os tipos de vacinas administradas para facilitar o acompanhamento da imunização da criança.

Publicidade

Últimas notícias

Publicidade