Pesquisar

Canais

Serviços

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Pandemia

Aumento na taxa de ocupação de leitos de UTI pode colocar Londrina em 'alto risco'

Vitor Ogawa - Grupo Folha
06 set 2020 às 18:49
- iStock
siga o Bonde no Google News!
Publicidade
Publicidade

O aumento da taxa de ocupação de leitos e as dificuldades crescentes na contratação de profissionais intensivistas podem colocar em risco o atendimento dos pacientes que procurarem socorro hospitalar em Londrina, não só por infecção por Covid-19, mas também por outros atendimentos. A situação pode gerar ainda a mudança na cor da bandeira laranja (risco moderado), para bandeira vermelha (alto risco), o que pode trazer como consequências o endurecimento das medidas de controle para evitar a disseminação do novo coronavírus.


Um comunicado divulgado pela assessoria de comunicação da prefeitura neste domingo (6) afirma que "a situação de relativa tranquilidade em relação a leitos é fruto do trabalho da gestão municipal, que coloca Londrina com mais estrutura do que de três estados inteiros do país e como referência internacional.” De acordo com boletim de sábado, disponível na secretaria municipal de Saúde, os leitos UTI adulto geral estavam com 76% de ocupação. Já nos leitos UTI adulto exclusivos Covid-19 a taxa era de 74%. Em outros Estados, quando esse patamar foi atingido, a escalada para percentuais superiores até a saturação total aconteceu muito rápido.

Cadastre-se em nossa newsletter

Publicidade
Publicidade


Neste domingo (6), a taxa de ocupação nos leitos UTI Adulto Geral subiram para 80% e os leitos exclusivos Covid-19 subiram para 79%. Veja o boletim da situação da Covid-19 deste domingo.

Leia mais:

Imagem de destaque
Mais investimento

Brasil registra 45% de cobertura em saúde bucal; meta é chegar a 70%

Imagem de destaque
Saiba mais

Pesquisa da UENP analisa saúde da mulher no Paraná

Imagem de destaque
Plásticas

Mulheres vítimas de violência serão priorizadas em cirurgias reparadoras feitas no SUS

Imagem de destaque
Saiba mais

Ultraprocessados são associados a doenças cardíacas em estudo


CONTINUE LENDO NA FOLHA:

Publicidade


"A Santa Casa e o HU ainda não tiveram profissional faltando, mas se piorar não dá para saber o que vai acontecer. Se continuar nesse ritmo, vai faltar profissional capacitado para atendimento e pode aumentar o número de mortes na cidade”, destaca médico que atua nos dois hospitais


"Estamos na bandeira laranja, que indica quadro moderado, e estamos compilando dados, mas pelo quantitativo que a gente tem provavelmente haverá mudanças na classificação de cores", afirmou membro do Coesp à FOLHA.


LEIA TAMBÉM:

"Falar só em número de leitos é algo muito simplista”, alerta superintendente do HU


Publicidade

Últimas notícias

Publicidade