Pesquisar

Canais

Serviços

Publicidade
Branded Content

Entenda mais sobre a síndrome do ovário policístico

- Shutterstock
Conteúdo de Valor FOLHA
03 mai 2019 às 14:12
siga o Bonde no Google News!
Publicidade
Publicidade

Se você é mulher e tem entre 20 e 40 anos provavelmente já encarou o assunto síndrome dos ovários policísticos. Também conhecido como SOP, é relativamente comum e tem a prevalência que varia entre 6% e 16% dependendo da população estudada, de acordo com artigo publicado pela Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia (Febrasgo), em 2018. "Não se sabe ainda a causa da SOP, porém, sabe-se que estão envolvidos fatores genéticos e resistência insulínica", explica a ginecologista londrinense e doutora na área de reprodução humana pela USP (Universidade de São Paulo), Lauriane Schmidt.


É importante ressaltar que existe diferença entre ovários policísticos (OP) e a Síndrome de OP. "É uma condição extremamente heterogênea. Existem mulheres que possuem somente o ovário policístico visualizado pela ultrassonografia, e não a síndrome. Do ponto de vista reprodutivo, existem ainda mulheres que tem a SOP e estão ovulando, ou não; e ainda as que são obesas ou não. São critérios criados pela sociedade americana e europeia sobre a SOP para que exista o diagnóstico mais assertivo", detalha Schmidt. Conheça mais sobre a SOP a seguir.

Publicidade
Publicidade


Como descobrir a síndrome dos ovários policísticos?

Leia mais:

Imagem de destaque
Mais de 58 mil casos no PR

Brasil ultrapassa 650 mil casos de dengue; 94 mortes desde o início do ano

Imagem de destaque
Entenda

'Quadro psicótico', diz Vanessa Lopes ao falar sobre o que a fez sair do BBB

Imagem de destaque
Alerta

Idosos e crianças fazem parte dos grupos de risco para dengue grave

Imagem de destaque
Suspeita de dengue

Postos de saúde da zona sul de Londrina tiveram movimento intenso neste sábado


Alguns sintomas são padrões nas mulheres que possuem a síndrome dos ovários policísticos. Confira:

Publicidade


Hiperandrogenismo: é o aumento de hormônios masculinos, como a testosterona, no organismo. Pode se manifestar pelo aumento de pelos, alopécia, acne, ou ser detectado somente em exames.
Alterações no ciclo menstrual: é a falta de padrão no ciclo ovulatório, tanto para a menstruação longa demais ou muito tempo sem menstruar.


A ultrassonografia é um procedimento importante para ter o diagnóstico da síndrome.

Publicidade


É possível engravidar com a síndrome dos ovários policísticos?


Ter a SOP permite a mulher de engravidar. "Com o tratamento adequado é possível engravidar mesmo com esta síndrome. Avaliamos cada casal, rotina e indicamos o melhor caminho, que às vezes não precisa ser medicamentoso", informa Schmidt. Vale ressaltar que qualquer mulher acima dos 35 anos pode sofrer redução das chances para engravidar, independentemente de possuir a SOP.

Publicidade


No entanto, uma melhor qualidade de vida pode influenciar. Se a mulher tiver sobrepeso ou obesidade, o tratamento com atividades físicas aeróbicas frequentes e uma dieta baixa em gordura e carboidrato pode ser benéfico. "Sugerimos que ela comece com exercícios aeróbicos três vezes por semana durante 30 minutos e aumente a frequência com o tempo. Essas medidas tendem a restabelecer o ciclo ovulatório e podem engravidar naturalmente", aponta a especialista em reprodução humana. E, caso seja necessário induzir a ovulação, os medicamentos de estímulo respondem melhor quando as mulheres estão dentro do peso adequado para a altura.


Atividades físicas e dieta não são regras para qualquer mulher com a síndrome dos ovários policísticos. "Cada caso é muito individualizado. É necessário ver com o casal se a mulher é ovulatória ou não, idade, grau de hiperandrogenismo, se tem endometriose, entre outros fatores", explica a especialista. Em casos, por exemplo, que a mulher possui a SOP e tem endometriose profundas, Schmidt sugere um tratamento acompanhado por uma especialista em reprodução humana para ter mais chances de sucesso.

Serviço:
Lauriane Schmidt
CRM/PR: 18714 | RQE 18423
Contato: (43) 3356-3399


Publicidade

Últimas notícias

Publicidade