Pesquisar

Canais

Serviços

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Ministério da Saúde

Governo cria grupo para coordenar vacinação contra covid-19

Andreia Verdélio/Agência Brasil
10 set 2020 às 11:13
- iStock
siga o Bonde no Google News!
Publicidade
Publicidade

O governo federal instituiu um grupo de trabalho interministerial para coordenar a aquisição e a distribuição de vacinas "com qualidade, eficácia e segurança comprovadas” contra o novo coronavírus. A resolução do comitê de crise da Presidência da República foi publicada nesta quinta (10) no Diário Oficial da União.


Sob coordenação do Ministério da Saúde, o grupo deverá colaborar no planejamento da estratégia nacional de imunização voluntária contra a covid-19 e terá duração de até noventa dias, podendo ser prorrogado por igual período.

Cadastre-se em nossa newsletter

Publicidade
Publicidade


Dezenove pessoas farão parte do grupo: três da Casa Civil; um do Ministério da Defesa; três do Ministério das Relações Exteriores; um do Ministério da Economia; quatro do Ministério da Saúde; um do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações; um da Controladoria-Geral da União; um do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos; um da Subchefia para Assuntos Jurídicos da Secretaria-Geral da Presidência; dois da Secretaria de Governo; e um da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

Leia mais:

Imagem de destaque
Aumento de internações

Chegada do inverno eleva casos de síndrome respiratória no país, diz Fiocruz

Imagem de destaque
Alerta para a população

Prevenção de quedas: saiba como minimizar os riscos para idosos

Imagem de destaque
Mais segurança a empregadores

Saúde vai mudar emissão de atestados médicos para evitar fraudes em Londrina

Imagem de destaque
Prevenção e diagnóstico precoce

Crianças matriculadas em escolas municipais da zona norte terão atendimento oftalmológico neste sábado


Atualmente, quatro estudos de vacinas contra o novo coronavírus estão sendo realizados no Brasil. Em junho, a Anvisa autorizou o ensaio clínico da vacina desenvolvida pela empresa AstraZeneca e pela Universidade de Oxford, do Reino Unido; no dia 3 de julho, o da vacina desenvolvida pela Sinovac Biotech, da China, em parceria com o Instituto Butantan; no dia 21 de julho, o das vacinas desenvolvidas pela BioNTech, da Alemanha, e Wyeth/Pfizer, dos Estados Unidos; e no mês passado, o da vacina da Jansen-Cilag, unidade farmacêutica da Johnson & Johnson.

Nesta semana, entretanto, a AstraZeneca suspendeu os testes globais de sua candidata a vacina após um dos voluntários, no Reino Unidos, apresentar sintomas adversos. Essa vacina é uma das principais apostas do governo brasileiro para a imunização contra a covid-19 no país.


Publicidade

Últimas notícias

Publicidade