Pesquisar

Canais

Serviços

Publicidade
Alerta geral

Gripe A coloca setor da UEL em quarentena

Fernanda Borges - Folha de Londrina
25 jun 2009 às 17:57
siga o Bonde no Google News!
Publicidade
Publicidade

A presença de uma estudante contaminada com o vírus da gripe A (H1N1) deixou a Universidade Estadual de Londrina (UEL) em alerta. Pelo menos 25 pessoas, entre servidores, alunos e professores foram colocados em quarentena e estão sendo monitoradas por funcionários da Epidemiologia do município. Dois casos são suspeitos.

A medida foi necessária depois de a instituição receber a visita de uma estudante da Universidade Estadual Paulista (Unesp), de Assis. A aluna participou na semana passada de um evento com outros estudantes e docentes no Departamento de Anatomia e só teve a confirmação da doença um dia depois de passar pela UEL.

Cadastre-se em nossa newsletter

Publicidade
Publicidade


A assessoria de imprensa da Universidade confirmou que todas as pessoas afastadas tiveram contato com a estudante infectada, sendo seis do Centro de Ciências Biológicas (CCB) e outras 19 do Centro de Ciências Agrárias (CCA).

Leia mais:

Imagem de destaque
Boletim semanal

Mais seis mortes por dengue são confirmadas em Londrina

Imagem de destaque
Com 102 mortes

Chikungunya tem maior letalidade que a dengue no Brasil

Imagem de destaque
Descobertas de anticorpos

Após morte do pai por Covid, cientista brasileira em Harvard busca novos antivirais

Imagem de destaque
Ampliação do acesso

Rio Grande do Sul vai receber 105 mil doses adicionais de vacinas até segunda


Alunos do curso de Educação Física que teriam aula ontem no Departamento de Anatomia tiveram as atividades suspensas porque funcionários do setor não estão indo trabalhar.

Publicidade


O secretário municipal de Saúde, Agajan Der Bedrossian, explicou que a estudante da Unesp é moradora de Botucatu (SP). ‘Duas pessoas da UEL, um homem de 52 anos e uma jovem de 24, que inclusive são parentes, apresentaram os sintomas e por isso tiveram material coletado. Tivemos informações de que a estudante de Botucatu esteve na Argentina há poucos dias’, disse.


Mais casos

Publicidade


Outros três casos suspeitos foram registrados na cidade, entre eles o de uma menina de 8 anos. A informação foi confirmada pelo secretário no final da tarde de ontem. Segundo Agajan, a criança tem familiares nos Estados Unidos e chegou de lá essa semana.


‘Um segundo caso é de um rapaz de 28 anos, que esteve no Chile, e o terceiro o de uma mulher de 25, que voltou há poucos dias da Argentina. Ambos vieram de avião para o Brasil, mas viajaram de São Paulo a Londrina de ônibus. Esse é o grande problema, pois estamos tendo que contactar todos os passageiros’, explicou.

Publicidade


Os passageiros que viajaram no mesmo ônibus do rapaz já foram contactados pela Saúde e, até ontem, ninguém apresentava os sintomas da doença. A secretaria continua buscando os passageiros que dividiram o mesmo veículo com a mulher.


O secretário reforçou o pedido de que a população evite de procurar os prontos-socorros desnecessariamente. ‘Somente são suspeitas pessoas que chegaram de algum dos países com a confirmação da doença ou que tiveram contato com pessoas de lá. Todos os casos suspeitos continuam sendo monitorados em casa’, enfatizou. Materiais foram coletados e encaminhados para a Fiocruz no Rio de Janeiro para análise. O resultado deve sair até o começo da semana.


Procura

Nos dois últimos dias pelo menos oito pessoas procuraram o pronto-socorro do Hospital Universitário (HU) de Londrina, mas nenhum deles apresentou suspeita da doença. A direção do PS fixou cartazes nas entradas principais do hospital e também do PS para informar as pessoas sobre as condições da doença.


Publicidade

Últimas notícias

Publicidade