Pesquisar

Canais

Serviços

Publicidade
Comportamento

Celibato: apenas uma opção sexual?

Sexo&Comportamento-Folha de Londrina
28 out 2009 às 18:51
- Reprodução
siga o Bonde no Google News!
Publicidade
Publicidade

O Catecismo da Igreja Católica é um documento aprovado pelo Vaticano e escrito por sete bispos peritos em Teologia e catequese. Tem por objetivo expor os conteúdos essenciais da doutrina católica. Nele, encontramos a seguinte definição: ''O celibato é um sinal da nova vida a serviço da qual o ministro da Igreja é consagrado, aceito com o coração, o qual lhe dá mais liberdade para anunciar o Reino de Deus''. A opção pelo celibato leva a pessoa a não constituir ''sua família'', porém, o catecismo irá colocar que ''mesmo com a opção pelo celibato, ninguém está privado da família neste mundo, pois, a Igreja é a família para todos''.

Sendo assim, o celibato é tido como uma ''maneira do ministro se dedicar mais facilmente a Deus com um coração indiviso'', dando-lhe maior liberdade de ir e vir para anunciar o reino de Deus e servir à comunidade.

Cadastre-se em nossa newsletter

Publicidade
Publicidade


Na verdade, os conselhos evangélicos, na sua multiplicidade, são propostos a todos os que acreditam em Deus, inclusive a castidade no celibato. Mas tudo o que envolve abstinência e sacrifício nos dias de hoje é visto como algo anormal ou fora do comum.

Leia mais:

Imagem de destaque
Fique atento!

Comportamento de risco aumentou infecções sexualmente transmissíveis

Imagem de destaque
Antes do Carnaval?

Programas focados em abstinência sexual não são eficazes, diz SBP

Imagem de destaque
Saiba mais

Evento em Londrina discute vida sexual em relacionamentos longos

Imagem de destaque
Saúde do homem

Você sabia que colesterol alto pode levar à impotência?


A questão é que atualmente tudo se tornou tão sexual (genital), que vemos o celibato como algo no mínimo ''não saudável''. Ser celibatário é tão saudável quanto ser sexualmente ativo. Ser saudável, está, na verdade, muito ligado a ser feliz.

Publicidade


Celibato, vida sexual ativa, constituir família ou ser ''sozinho'' é uma questão de opção de vida. E a decisão deve ser livre e individual. Deve ser tomada com consciência e responsabilidade, tendo em mente que mesmo ''sozinho'', não estamos sozinhos. Vivemos rodeados por pessoas e nossas ações trazem consequências que influenciarão a vida dos que nos rodeiam.


Muitos pensam assim: quando eu tiver um namorado(a), serei feliz. Quando eu ficar noivo(a), serei feliz. Quando eu me casar, serei feliz. Quando eu tiver minha casa, serei feliz. Quando eu tiver filhos, serei feliz. Quando ... quando... enfim! Essas pessoas deixam a felicidade para amanhã e se esquecem de serem felizes no caminho, durante as conquistas.

Publicidade


Não importa a sua opção, celibato ou família, o que importa é que ela seja saudável e te leve a ser feliz no caminho.


Mitos e Verdades

Publicidade


- Mito: a pessoa que escolhe não manter relações sexuais durante sua vida não é saudável.


- Verdade: ser saudável é ser feliz.

Gislene Regina Isquierdo, psicóloga clínica, especialista em psicoterapia comportamental


Publicidade

Últimas notícias

Publicidade