Pesquisar

Canais

Serviços

- Gustavo Oliveira/Londrina Esporte Clube
Continua depois da publicidade
Lucio Flávio

Faltou "guerrear" ao Londrina em Ponta Grossa

14 jul 2019 às 15:47
Continua depois da publicidade

"Eles entraram para guerrear e nós apenas para jogar". A afirmação do técnico Alemão ao final do jogo resume bem o que foi a vitória do Operário por 2 a 0 sobre o Londrina. O triunfo foi indiscutível e, em nenhum momento, o LEC ameaçou o time da casa.

Continua depois da publicidade
PUBLICIDADE

Em uma competição de pontos corridos, existem alguns jogos que são como decisões. O duelo contra o Londrina era a primeira final do Operário na série B. A equipe dos Campos Gerais entrou com este espírito, e o LEC não. O Operário foi intenso do primeiro ao último minuto e isso fez a diferença para a vitória que o tirou da zona do rebaixamento.

Continua depois da publicidade


O Londrina sabia que iria enfrentar um clima de guerra no Germano Kruger. Se preparou para isso, mas não conseguiu colocar em prática. Tecnicamente o time foi muito mal e como faltou entrega, o resultado não poderia ser diferente.


Se analisarmos o coletivo e também individualmente, o Londrina é mais time que o rival, mas no futebol nem sempre quem é melhor vence. O Operário criou a atmosfera, dentro e fora de campo, para vencer e, no fim, a torcida se deu ao luxo até de gritar olé.


O LEC foi muito mal defensivamente, inclusive pelos lados. Sabia que a bola aérea do Operário era a sua principal arma e mesmo assim perdeu todas as bolas lançadas contra o gol de Matheus Albino. Assim saiu o primeiro gol em cabeçada de Felipe Augusto.

Continua depois da publicidade


O time marcou mal no meio-campo, errou muitos passes e foi lento na transição. Em um passe errado de Germano, saiu a jogada do segundo gol marcado por Marcelo, que contou com a ajuda de Augusto, que empurrou a bola para o fundo das redes.


Para completar, o ataque não existiu. Atuações apagadíssimas de Moccelin, Carlos Henrique e Anderson Oliveira. O garoto já não joga bem há algumas partidas. Léo Passos, que entrou no intervalo, até se movimentou mais, mas sozinho não conseguiu grandes coisas.



A atuação coletiva, individual, técnica e tática foi muito ruim. E já não foi a primeira vez. Nos últimos dois jogos antes da parada - Cuiabá e Ponte Preta -, o time já não havia atuado bem. "Na série B se você passa três rodadas sem pontuar, joga fora tudo de bom que fez antes".

A afirmação do técnico Alemão também é verdadeira e cabe bem para o momento do clube. Então, o jogo contra o Figueirense passa a ser muito importante. Para o time voltar a jogar bem e a pontuar.


Continue lendo

Últimas notícias

Publicidade