Pesquisar

Canais

Serviços

Publicidade

A grandeza de alma de Francisco de Assis

04 out 2009 às 06:41
siga o Bonde no Google News!
Publicidade
Publicidade


"Pois é dando que se recebe, é perdoando que se é perdoado, e é morrendo que se vive para a vida eterna".
Francisco de Assis

A Igreja Católica celebra neste dia - 4 de outubro - a vida de Francisco de Assis, canonizado no ano de 1228. Ele nasceu no ano de 1181 em uma família burguesa da cidade de Assis (Itália) e aos 25 anos de idade renunciou ao mundo fazendo penitência durante dois anos até lançar-se a pregar em linguagem simples e ardosa a favor dos pobres, chegando até mesmo, viver no meio deles.

Cadastre-se em nossa newsletter

Publicidade
Publicidade


Francisco de Assis morreu aos 45 anos de idade, doente e quase cego, somando uma vida repleta de dedicação e amor às pessoas, além de um carinho especial que pregava aos animais, chamando-os de irmãos.

Leia mais:

Imagem de destaque

O ser humano e a potência para a melhora

Imagem de destaque

Reflexões em Imagens

Imagem de destaque

Em busca da paciência nas transformações

Imagem de destaque

Reflexões em imagens


Respeitado por várias religiões pela sua mensagem de paz, Francisco de Assis deixou uma belíssima oração que remete exatamente tudo o que ele pregou ao longo de sua vida: o amor universal, a caridade, a paz e a humildade.

Publicidade


Enquanto tantos em nosso meio ainda consegue alimentar o ódio em seus corações ou até mesmo sofrer por não enxergar no outro o amor pleno de irmão, Francisco de Assis viveu referindo-se à superação do eu egoístico que nos domina, ressaltanto e divulgando a eliminação dos interesses pessoais para o nascimento do legítimo cristão, liberto de impurezas e imperfeições.


Oração de São Francisco de Assis

Publicidade


Senhor:
Fazei de mim um instrumento de vossa Paz!


Onde houver Ódio, que eu leve o Amor,
Onde houver Ofensa, que eu leve o Perdão.
Onde houver Discórdia, que eu leve a União.
Onde houver Dúvida, que eu leve a Fé.
Onde houver Erro, que eu leve a Verdade.
Onde houver Desespero, que eu leve a Esperança.
Onde houver Tristeza, que eu leve a Alegria.
Onde houver Trevas, que eu leve a Luz!


Ó Mestre,
fazei que eu procure mais:
consolar, que ser consolado;
compreender, que ser compreendido;
amar, que ser amado.

Pois é dando, que se recebe.
Perdoando, que se é perdoado e
é morrendo, que se vive para a vida eterna!


Publicidade

Últimas notícias

Publicidade