Pesquisar

Canais

Serviços

Publicidade
Educação para jovens e adultos

Governo do Estado volta atrás e afirma que vai fechar Ceebja de Cambé

Douglas Kuspiosz - Especial para a Folha
29 nov 2023 às 09:15
- Douglas Kuspiosz
siga o Bonde no Google News!
Publicidade
Publicidade

A Seed (Secretaria de Estado da Educação) voltou atrás e decidiu encerrar as atividades do Ceebja (Centro Estadual de Educação Básica para Jovens e Adultos) Professora Maria do Carmo Bocati, em Cambé (Região Metropolitana de Londrina). 


O vai e vem envolvendo o fim das atividades da unidade educacional se arrasta desde outubro, quando o fechamento havia sido anunciado e, após mobilização da comunidade, o governo indicou mais um ano de funcionamento.

Cadastre-se em nossa newsletter

Publicidade
Publicidade


Passado menos de um mês dessa sinalização de continuidade, a FOLHA foi procurada por estudantes do centro que relataram novamente a determinação de encerramento em dezembro. A informação foi confirmada pela direção do Ceebja. A baixa procura teria sido uma das justificativas para a decisão.

Leia mais:

Imagem de destaque
VEJA A LISTA

Paraná: prazo da 2ª parcela do IPVA para veículos com final de placa 9 e 0 termina na sexta

Imagem de destaque
Pressão dos parlamentares

Governo recua, cede ao centrão e aceita cumprir calendário para pagar emendas

Imagem de destaque
Exportação e importação

Paraná liderou a importação de suínos de alta genética em 2023, aponta boletim

Imagem de destaque
Duas ações diferentes

Polícia Civil apreende seis armas de fogo e munições em Ibiporã


A tendência é que a oferta da EJA (Educação de Jovens e Adultos) ocorra no Colégio Estadual Olavo Bilac no período noturno. Apesar disso, especialistas destacam a função social desempenhada pelos centros e a importância de um espaço e equipe especializados para a EJA.

Publicidade


A notícia levou os alunos a iniciarem uma mobilização em defesa do centro. No sábado (2), será realizada uma manifestação contra o fechamento no Calçadão de Cambé, a partir das 10h.


Uma das estudantes do centro de Cambé é a costureira Marcilene de Menezes Nonaka, 51, que diz estar em choque com a notícia. E reforça que a equipe do Ceebja é capacitada para atender os alunos.

Publicidade


“No Ceebja, as pessoas que estão ali conseguem ver dentro da pessoa, não o que ela fala da boca para fora, mas o que está no interior. Os professores são preparados para essa diferença”, conta Nonaka. 


“O Ceebja é o lugar dos excluídos, aqueles alunos que já foram expulsos de várias escolas e eles mesmo falam: ‘Eu não consegui estudar lá, mas aqui eu quero estudar’.”


Leia a reportagem completa na FOLHA DE LONDRINA:


Imagem
Governo estadual volta atrás e decide fechar Ceebja de Cambé
A discussão sobre o fim das atividades da unidade se arrasta desde outubro
Publicidade

Últimas notícias

Publicidade