19/09/20
°/°
PUBLICIDADE
Formatura

Após calote, ex-alunos aguardam devolução de dinheiro

Já faz um ano e meio que pais de 33 ex-estudantes do Colégio Estadual Benjamin Constant, localizado na Vila Portuguesa, mantêm a esperança de um dia serem indenizados do dinheiro investido na formatura do terceiro ano do Ensino Médio, que não foi realizada. Eles culpam um secretário da instituição de ficar com o pagamento dos convites, cada um em torno de R$ 180, e desfazer o contrato com um buffet na rua Paraíba que sediaria a festa.

Divulgação
Divulgação


O grupo também alega que o diretor da escola tinha conhecimento do golpe e nada fez. Os dois servidores foram denunciados no Núcleo Regional de Educação (NRE) de Londrina, que abriu uma sindicância para investigar o caso. Procurada pela reportagem, a Secretaria Estadual de Educação (Seed) informou que já recebeu o processo, mas ainda aguarda a instauração de uma investigação disciplinar interna.

"É uma revolta grande com a demora dessa apuração. O prejuízo não foi só financeiro, mas principalmente emocional. Imagine planejar uma parte importante da vida, que é a formatura, e não poder participar? Os pais estão frustrados, mas esperam que algo seja feito em prol daqueles que foram lesados", explicou o advogado Miguel El Kadri, que representa as famílias.

Além da denúncia no NRE, ele ingressou com diversas ações cíveis na Justiça de Londrina. Em uma delas, a juíza leiga Ana Caroline Guerra Coppo, em julho do ano passado, disse que "o Estado do Paraná não pode ser responsabilizado por um acordo que foi firmado em âmbito privado. A finalidade pública da escola não compreendia a organização de festas de formaturas". O processo terminou extinto na primeira instância sem que o mérito fosse julgado.

Mas a situação foi revertida em março deste ano no Tribunal de Justiça. De acordo com a decisão da juíza Manuela Tallão Benke, "há provas suficientes tanto contra o diretor e o secretário". A sentença inicial foi anulada e o caso voltou a tramitar.

Em consulta ao Portal da Transparência, a reportagem confirmou que os dois acusados continuam recebendo normalmente os salários, assim como trabalhando no Benjamin Constant.
Rafael Machado - Grupo Folha
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Continue lendo
Não andou na linha
Homem é preso por furtar trilhos de trem em Londrina
19 SET 2020 às 16h30
Em Jataizinho
Justiça determina que IML libere corpo de criança morta em incêndio
19 SET 2020 às 15h58
Passos a galgar
Acesso das mulheres à política ainda é limitado
19 SET 2020 às 14h32
No Paraná
Geração de empregos é ponto para retomar economia
19 SET 2020 às 14h21
Será transferido de Rolândia
Jogador que matou ex-dirigente de clube alega risco de morte
19 SET 2020 às 11h55
Em Londrina
Justiça autoriza funcionamento de bares com alvarás diferentes
19 SET 2020 às 10h51
Veja mais e a capa do canal
JORNAIS
Folha de Londrina
TELEVISÃO
MultiTV Cidades
OUTRAS EMPRESAS
Grafipress
RSS - Resolução máxima 1024x728 - () - Bonde - Todos os direitos reservados