Pesquisar

Canais

Serviços

Publicidade
Mobilização

Greve do INSS em Londrina é parcial

Marilayde Costa - Redação Bonde
17 jun 2009 às 19:46
Em Londrina, somente a agência do INSS da região central foi afetada com a adesão de metade dos servidores - Marcos Borges/Equipe Folha
siga o Bonde no Google News!
Publicidade
Publicidade

O funcionamento da agência do INSS da região central de Londrina, na Rua Professor João Cândido, começa a ficar prejudicado a partir desta quarta-feira (17) devido a adesão de 12 servidores ao movimento grevista deflagrado nesta terça feira (16) em várias cidades do país. A paralisação de 50% do total de funcionários deve causar transtornos.

A outra agência do INSS que faz atendimento público em Londrina, localizada no bairro Shangri-lá, está funcionando normalmente. "Neste posto, não houve nenhuma adesão até o momento", disse Rui João dos Santos, diretor do Sindicato dos Previdenciários do Paraná (Sindiprevs).

Cadastre-se em nossa newsletter

Publicidade
Publicidade


De acordo com Rui Santos, os servidores estão resisitindo por estarem sofrendo pressão das chefias. "eles estão fazendo várias ameaças, dizem que vão descontar os dias parados mas a assessoria jurídica e o comando de greve esclarecem que a greve está sendo realizada de forma legal e que poderão entrar com uma ação contra chefes e repartições que estejam fazendo as ameaças", complementou o sindicalista.

Leia mais:

Imagem de destaque
Saiba mais

Publicado edital do anteprojeto do Terminal Metropolitano de Londrina

Imagem de destaque
Violinista norte-americana

Osuel promove concerto com solista convidada nesta quinta e sexta-feira

Imagem de destaque
Cinema em Londrina

Espaço Villa Rica exibe lançamento "A Hora da Estrela": confira a programação

Imagem de destaque
Sem chuvas

Quinta-feira deve ser de Sol e de temperaturas amenas em Londrina e na região


Contra STJ

Publicidade


A greve, por tempo indeterminado, contraria determinação do Superior Tribunal de Justiça (STJ). Em nota oficial, a Federação Nacional dos Sindicatos de Trabalhadores em Saúde, Trabalho, Previdência e Assistência Social (Fenasps) afirmou que vai iniciar a greve apesar da decisão contrária da Justiça. A Federação alega que a greve é legal e desmente o governo, que teria declarado ao STJ que a categoria não cumpriu os requisitos legais para a paralisação.


"O governo induziu o Judiciário a erro ao informar que Fenasps teria anunciado a greve sem prévia negociação", diz o comunicado. Pela decisão do ministro Og Fernandes, se a greve for mantida, a federação será multada em R$ 100 mil por dia.

Publicidade


O movimento nacional prevê a manutenção de 30% do servidores nas agências para atendimentos emergenciais, como desbloqueio de pagamentos e perícias pré-agendadas.


O Ministério da Previdência Social orienta a população que, mesmo com a greve, compareça à agência no dia e hora agendado para remarcação do atendimento.


Reivindicação

Os servidores lutam pela manutenção da jornada de trabalho de 30 horas sem redução do salário, contratação de 2 mil funcionários concursados em 2008, reestruturação das carreiras e melhores condições de trabalho, sem assédio moral.


Publicidade

Últimas notícias

Publicidade