Pesquisar

Canais

Serviços

Publicidade
Clima de insegurança

Prefeitura de Londrina prepara ação judicial para derrubada de imóvel abandonado no centro

Pedro Marconi - Grupo Folha
25 jan 2023 às 14:20
- Pedro Marconi - Grupo Folha
siga o Bonde no Google News!
Publicidade
Publicidade

A Procuradoria-Geral do Município prepara uma ação judicial em que deverá pedir a demolição do imóvel abandonado que fica no cruzamento da rua Belém com a Bahia, no centro de Londrina. A informação é da secretaria municipal de Planejamento. O prédio, que é a junção de dois imóveis, está desocupado há cerca de dez anos. O IPTU (Imposto Predial e Territorial Urbano) está em dia, no entanto, o lugar se tornou ponto de tráfico de drogas, prostituição e abrigo para pessoas em situação de rua.


“O imóvel da rua Belém é o símbolo do descaso e o proprietário do imóvel não cuida minimamente. Este espaço hoje oferece risco não só para a saúde pública, mas para a vida das pessoas. São muitas pessoas que passam por lá, que moram ao lado, tem escola. Nós estamos preparando uma ação judicial para pedir a demolição com a autorização da Justiça”, afirmou o secretário de Planejamento, Marcelo Canhada.

Cadastre-se em nossa newsletter

Publicidade
Publicidade


O imóvel foi fiscalizado, pelo menos, três vezes no ano passado pela Guarda Municipal, principalmente no segundo semestre. Na terça-feira (24), um homem de 33 anos que estava no mocó foi baleado na perna pela PM (Polícia Militar) após reagir a uma tentativa de abordagem na rua Bahia. Ele tinha um mandado de prisão em aberto por roubo e foi encaminhado para o HU (Hospital Universitário). Posteriormente, seria levado para a cadeia.

Leia mais:

Imagem de destaque
PRAZO DE 10 MESES

Obras de construção da UPA zona sul começaram; previsão de entrega é novembro

Imagem de destaque
CONJUNTO CAFEZAL

Trecho com erosão na Estrada da Pedreira é interditado pela Prefeitura de Londrina

Imagem de destaque
JOVEM TINHA 14 ANOS

Morte de adolescente por suspeita de dengue é investigada em Londrina

Imagem de destaque
0,03% não têm água

Censo 2022: 7,44% dos domicílios de Londrina ainda usam buraco ou fossa como esgotamento


Foi neste mesmo espaço que duas mulheres teriam sido abusadas por um policial militar e outra vítima foi importunada sexualmente entre o final de dezembro e a primeira quinzena de janeiro. O PM acabou preso e foi indiciado pela Polícia Civil pelos crimes. Quem mora na região ou tem comércio relata o clima constante de medo com a situação do imóvel. “Trabalhamos o dia todo, temos filhos em casa e tenho receio. Chego no terminal e desço a pé, mas passo por aqui com cuidado por conta do perigo que este local oferece”, relatou a cabeleireira Viviane Alves.


Empresas que ficam próximas a este cruzamento chegaram a fechar nos últimos meses ou mudar de endereço para evitar mais transtornos. “Temos clientes na loja, chega morador de rua e pede dinheiro, ameaça, ficam toda a hora querendo usar o banheiro. A noite são inúmeras invasões. Os comércios e as casas estão parecendo presídio, com as pessoas sendo obrigadas a instalar concertina, alarme e câmeras para quem fica nesse mocó, que têm criminosos, não invadir”, desabafou um empresário, que preferiu não ter o nome divulgado.


Continue lendo na Folha de Londrina

Imagem
Prefeitura prepara ação judicial para derrubada de mocó no centro
Imóvel no cruzamento da rua Belém com a Bahia se tornou palco de crimes, tráfico de drogas, prostituição e abrigo para moradores de rua
Publicidade

Últimas notícias

Publicidade