Pesquisar

Canais

Serviços

- Reprodução/Instagram (sindijornortepr)
Continua depois da publicidade
Continua depois da publicidade
Entenda

Músico agride cinegrafista que cobria acidente em que ele se envolveu em Londrina

Vitor Struck/Grupo FOLHA
30 set 2021 às 10:35
Continua depois da publicidade

Preso em flagrante na noite desta terça-feira (28) após ter se envolvido em um acidente que deixou a ocupante de uma motocicleta em estado grave, além de ter agredido um cinegrafista, no cruzamento das ruas Belo Horizonte e Quintino Bocaiúva, no centro de Londrina, o professor de música João Rubens Rodrigues Coloniezi, 30, já havia respondido a uma ação judicial por conta de um acidente de trânsito.

Continua depois da publicidade
PUBLICIDADE


Na ocasião, em setembro de 2017, ele colidiu contra um utilitário conduzido por um idoso depois de ter realizado uma ultrapassagem proibida, na BR-369. A ação por danos morais e materiais acabou sendo arquivada em janeiro de 2019, após as duas partes firmarem um acordo. 

Continua depois da publicidade


Filho do ex-prefeito de Ibiporã (Região Metropolitana de Londrina), João Toledo Coloniezi, o jovem acabou colidindo contra uma motocicleta ocupada por duas pessoas depois de ter avançado a preferencial, na noite desta terça-feira. 


Ocupante da motocicleta, Ana Cláudia Gil Mendes precisou ser encaminhada em estado grave pelos socorristas. Ela permanecia internada em um leito de UTI (Unidade de Terapia Intensiva) na Santa Casa de Londrina até o fechamento desta edição.

Continua depois da publicidade


A FOLHA entrou em contato com a defesa de Coloniezi, que buscou obter a liberdade provisória do jovem ao longo de toda esta quarta-feira. No pedido de soltura, a defesa argumentou que Coloniezi é réu primário, não possui antecedentes criminais, trabalha licitamente e tem residência fixa. 


Conforme apurou a reportagem, o pedido de liberdade provisória formulado pela advogada Soraya Rocha Botega foi recebido pela juíza Telma Regina Magalhães Carvalho. Em seguida, a magistrada solicitou uma manifestação do MPPR (Ministério Público do Paraná).


Leia mais na Folha de Londrina.



Continue lendo