Pesquisar

Canais

Serviços

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Estradas

Caminhoneiros: Pedágio no PR é o mais caro do país

Redação Bonde
29 nov 2007 às 11:00
Há estradas bem melhores em São Paulo - Arquivo Folha
siga o Bonde no Google News!
Publicidade
Publicidade

A afirmação feita pela Associação Brasileira das Concessionárias de Rodovias (ABCR) de que as tarifas de pedágio no Paraná são as menores do país foi recebida com estranheza, indignação e revolta pelos caminhoneiros que trafegam nas rodovias pedagiadas paranaenses. Os transportadores que utilizam vias concessionadas de outros Estados e de países vizinhos afirmam que a qualidade e os serviços prestados pelas empresas no Paraná estão muito aquém, não justificam os valores cobrados. E, ainda, classificam as tarifas de abusivas.

"A comparação com outras estradas é absurda. Na Argentina, o valor pago pelo pedágio é no mínimo perto do que pagamos por aqui. O preço em São Paulo é mais alto, mas pagamos por um benefício que não temos no Paraná. Lá há mais faixas, rodovias duplicadas, terceiras-faixas, viadutos", comparou o caminhoneiro Plínio de Souza Freire, que costuma passar semanalmente por vias administradas pela iniciativa privada em São Paulo e na Argentina.

Cadastre-se em nossa newsletter

Publicidade
Publicidade


Para o transportador - que trabalha com um caminhão cegonha há 17 anos - mesmo com uma redução efetiva das tarifas cobradas no Paraná, o pedágio continuaria sendo indevido. "Aqui é muito caro e, mesmo que não fosse, ainda não valeria a pena. São preços abusivos", reclamou.

Leia mais:

Imagem de destaque
Número preocupante

Incêndios em vegetação registram aumento de 133% no Paraná

Imagem de destaque
Concessão de rodovias

Demora do Tribunal de Contas da União para analisar projetos atrasa concessão dos lotes 3 e 6

Imagem de destaque
Defesa do consumidor

Procon-PR fez, em média, 570 atendimentos por dia no primeiro semestre do ano

Imagem de destaque
Primeiro semestre

Nota Paraná devolveu R$ 160,7 milhões em créditos de ICMS em 2024


Outro caminhoneiro que achou a comparação indevida foi Emerson Romão. Ele contou que gasta praticamente o mesmo valor nos percursos entre Curitiba e Paranaguá e de São Paulo à Baixada Santista, contudo as rodovias paulistas, segundo o transportador, são muito superiores.

Publicidade


A conservação das rodovias administradas pelas seis concessionárias também foi alvo de reclamação constante dos motoristas. Giovani Dalla Líbera, de Francisco Beltrão, narrou que em períodos de safra faz semanalmente o percurso de Paranaguá-Curitiba-Apucarana e que a via de acesso à cidade do Norte paranaense está em péssimo estado.


Roberto Parra, que também realiza o transporte de cargas entre Paranaguá e o Norte do Estado, concordou. "Rodo em trechos no Paraná que não mudaram nada com o pedágio. Estão roçando a beira da estrada, mas o pavimento continua ruim", observou. "Eu deixo o valor da prestação de um caminhão novo todos os meses nas praças de pedágio", salientou. Parra chamou a atenção também para a diferença entre as pistas simples e pistas duplas, que são muito mais freqüentes em São Paulo, como foi observado por todos os seus colegas.


Com experiência de 26 anos de profissão, Paulo Vanderlind, nem pensa para responder que o pedágio no Paraná é o mais caro que existe. Hoje ele transporta entre Curitiba e Antonina, gastando R$ 1,2 mil por mês. E torce para não precisar de socorro mecânico.

As informações são da AEN.


Publicidade

Últimas notícias

Publicidade