Pesquisar

Canais

Serviços

Publicidade
RMC

Morro do Anhangava é opção de ecoturismo no feriado

Redação Bonde
05 abr 2007 às 18:21
siga o Bonde no Google News!
Publicidade
Publicidade

Com pouco mais de 1.400 metros de altura, o Morro do Anhangava, localizado no Parque Estadual da Serra da Baitaca, em Quatro Barras e Piraquara, na Região Metropolitana de Curitiba, oferece um passeio alternativo, rápido e impressionante para os visitantes que gostam de aventura e contato com a natureza. Do cume da montanha avista-se Curitiba e Região Metropolitana, além da represa do Capivari, Serra do Mar e remanescentes da floresta Atlântica da região. A trilha de acesso é considerada leve e tem tempo de estimado de uma hora.

"O Anhangava é muito procurado por praticantes de esportes radicais, devido ao alto nível das escaladas encontradas nos paredões e encostas da montanha. Os visitantes que não são escaladores profissionais podem optar por realizar exclusivamente a caminhada até o cume, que não exige grandes habilidades técnicas e está aberta a todos", explicou o secretário do Meio Ambiente e Recursos Hídricos, Rasca Rodrigues.

Cadastre-se em nossa newsletter

Publicidade
Publicidade


O Parque Estadual da Serra da Baitaca é uma Unidade de Conservação Estadual com pouco mais de 3 mil hectares formada por remanescentes de Floresta Atlântica. Convém lembrar que os visitantes de áreas naturais devem respeitar algumas regras de comportamento, carregando todo o lixo produzido durante o passeio, além de evitar barulho excessivo e respeitar sempre a fauna e a flora local.

Leia mais:

Imagem de destaque
Região

Motociclista morre ao ser atingido por carro e arremessado após colisão em Campo Mourão

Imagem de destaque
Corredor sustentável

Oito postos de abastecimento com GNV ligam Curitiba a Londrina

Imagem de destaque
Região

Colisão frontal causa morte de motociclista em Rio Branco do Ivaí

Imagem de destaque
1.898 vagas em Londrina

Agências do Trabalhador do Paraná têm 19,5 mil vagas disponíveis


Acesso - A base da montanha está localizada a 10 quilômetros do centro de Quatro Barras. Deve-se seguir a avenida principal do município até a bifurcação onde uma placa indica a direção para Borda do Campo. Segue-se então nesse sentido. A partir daí, os próximos quilômetros são em estrada de chão, em bom estado, e já é possível avistar a montanha.

Publicidade


A estrada termina quase no pé da montanha, em uma área de terra, cercada por árvores, estacione o carro aí. Neste local existe uma casa, com portão sempre fechado. A entrada para a trilha é ao lado esquerdo dessa residência, um portão pequeno. É aconselhável preservar o silêncio, pois é comum ter cachorros na propriedade ao lado.


A trilha que dá acesso ao cume está bem marcada no chão, e existem ainda algumas placas, montadas pelos escaladores que orientam os recém-chegados. É importante que o visitante preste muita atenção na trilha usada para subir, pois, na volta, pode haver confusão com caminhos alternativos usados pelos escaladores.

Publicidade


A metade do trajeto está localizado na parte baixa da montanha, em uma escadaria construída pelos escaladores. Quando essa parte da caminhada terminar já é possível ter uma bela vista de Curitiba. Desse ponto em diante, a trilha entra na parte mais exposta, com algumas escadas de metal fixadas na pedra, e marcações brancas no chão que orientam o visitante até o cume.


A região do cume é grande. Escolha uma das enormes pedras e aproveite a paisagem, o canto das várias espécies de pássaros e a presença de pequenos mamíferos e répteis. Ainda resta, no local, ruínas de uma antiga capela construída pelos fieis que realizam as missas de 1.º de maio.

Publicidade


Dicas – O tempo da região é bastante instável, mesmo que esteja quente, é aconselhável estar preparado para eventual queda de temperatura ou até mesmo, chuva. Use um tênis que seja ao mesmo tempo confortável e forte. Leve comidas leves, e toda a água necessária, dois litros por pessoa é suficiente. Carregue uma mochila, deixe as mãos livres.


Outra dica importante é respeitar o espaço dos escaladores, eles não se incomodarão em repreender atitudes de bagunça ou desrespeito com o meio ambiente local por parte dos visitantes.

O passeio pode ser feito em aproximadamente 5 horas. A subida e a descida do Anhangava demoram em média 3 horas, o restante do tempo pode ser usado para desfrutar a sensação de estar no cume da montanha. Fique atendo aos horários de pôr-do-sol, desça da montanha antes de escurecer. (AEN)


Publicidade

Últimas notícias

Publicidade