30/09/20
PUBLICIDADE
Cliente idoso e doente

Advogado é detido por pegar dinheiro de cliente em Londrina

Um advogado de 40 anos foi detido no começo desta semana em Londrina. A ordem, expedida pelo Juiz da 3ª Vara Criminal de Londrina, vem de um processo de apropriação indébita, no qual ele é acusado de pegar para si o dinheiro que seu cliente deveria receber.

Divulgação
Divulgação


Segundo consta da denúncia criminal, o advogado, auxiliado por uma funcionária, teria telefonado para o idoso em agosto de 2009 oferecendo seus serviços para processar a Caixa Econômica Federal por causa de taxas de conta-poupança.

No ano seguinte, em 2010, o advogado fez um acordo no processo, pelo qual seu cliente deveria receber R$ 13.536,81. Contudo, ele teria pego o dinheiro para si.

O idoso, que hoje tem 69 anos e teve suas duas pernas amputadas por problemas de saúde, descobriu a situação apenas em 2015, auxiliado por outro advogado. Eles fizeram uma denúncia criminal e também entraram com uma ação na justiça cível.

O juiz da 4ª Vara Cível de Londrina, Jamil Riechi Filho, condenou o advogado a ressarcir os R$ 13.536,81 e pagar uma indenização de R$ 15mil ao idoso, com juros e correção monetária. Contudo, até hoje nada foi pago.

Depois das investigações criminais, o Ministério Público ofertou denúncia contra o advogado, mas o processo ainda está tramitando.

Em abril deste ano a juíza Deborah Penna decretou a prisão preventiva do advogado por suspeitar que ele estaria se escondendo da Justiça. Ele é procurado desde 2015, quando as investigações começaram, mas nunca foi encontrado pessoalmente para receber a citação do processo. Em uma das tentativas, sua esposa foi encontrada pelo oficial de justiça, e teria informado um endereço errado.

Ele possuía, até então, um defensor dativo, nomeado quando a pessoa não contrata uma defesa no processo.

O mandado de prisão está em aberto desde a data da decisão, 7 de abril de 2020. Contudo, apenas no começo desta semana, na última segunda-feira (20), o advogado compareceu para depor e saiu algemado.

Ele formulou, através de uma advogada por ele constituída, um pedido de liberdade. Contudo, até a manhã desta quarta (22), ele não havia sido apreciado pelo juiz competente, sendo mantida a prisão.

O advogado também respondeu a uma representação junto à Ordem dos Advogados do Brasil, que decidiu, no ano de 2019, lhe impor uma multa no valor de cinco anuidades e a suspensão do seu registro profissional até que pague ao seu antigo cliente o valor que pegou para si indevidamente.

Em consulta ao Cadastro Nacional de Advogados na manhã desta quarta-feira (22), o advogado permanece suspenso.

Ele possui outras passagens por estelionato e furto.

*Sob supervisão de Rafael Machado.
Isabella Alonso Panho* - estagiária
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Continue lendo
Confira lista
Veja quem são os candidatos a prefeito e vereador em Arapongas
29 SET 2020 às 18h33
Em Londrina
Coletivo de sindicatos faz carreata em defesa de servidores públicos
29 SET 2020 às 16h32
Eleições 2020
Confira todos os candidatos a prefeito e vereador em Rolândia
29 SET 2020 às 15h34
Esquecidos?
Secretaria Municipal do Trabalho tem mais de 200 carteiras de trabalho não retiradas
29 SET 2020 às 11h47
Oportunidade
Paraná tem 2.407 vagas ofertadas na semana pelas Agências do Trabalhador
29 SET 2020 às 11h43
Veja os números
Prefeitura divulga resultado dos 5 anos da Patrulha Maria da Penha em Londrina
29 SET 2020 às 11h29
Veja mais e a capa do canal
JORNAIS
Folha de Londrina
TELEVISÃO
MultiTV Cidades
OUTRAS EMPRESAS
Grafipress
RSS - Resolução máxima 1024x728 - () - Bonde - Todos os direitos reservados