Pesquisar

Canais

Serviços

Continua depois da publicidade
Continua depois da publicidade
Volta Redonda (RJ)

Agressores são flagrado por câmera de segurança

Redação - Folha de Londrina
07 jul 2003 às 20:10
Continua depois da publicidade

Os sete rapazes de classe média alta presos após serem flagrados por câmeras da Prefeitura de Volta Redonda (129 km ao sul do Rio) espancando brutalmente um homem e jogando-o do alto de um viaduto, na madrugada do último sábado, poderão ser acusados de crime hediondo.

Continua depois da publicidade
PUBLICIDADE

Por causa das agressões, o construtor civil Mauro César da Silva, 35 anos, sofreu fraturas no nariz e nos braços e há a suspeita de que tenha tido duas vértebras quebradas. Ele está internado no hospital São João Batista (Volta Redonda). Sua situação é estável, segundo os médicos.

Continua depois da publicidade


Responsável pelas investigações, o titular da 93ª Delegacia de Polícia, delegado Daniel Goulart, disse que o crime hediondo ficará caracterizado se for comprovado que o grupo agiu por motivo torpe ou preparou uma emboscada para a vítima. Nesse tipo do crime, o réu não pode responder ao processo em liberdade.


Os sete rapazes, que moram no município de Barra Mansa, vizinho a Volta Redonda, já foram indiciados sob a acusação de tentativa de homicídio. O delegado informou que o inquérito deverá ser concluído em dez dias.


Segundo Goulart, vítima e agressores se encontraram em uma exposição agropecuária em Barra do Piraí (a 119 km do Rio). Silva teria se desentendido com um deles por causa de uma mulher, o que provocou uma briga.

Continua depois da publicidade


Ao deixar a exposição, Silva foi perseguido por cerca de 40 km pelos sete rapazes, que estavam em dois carros - uma picape preta e um Gol branco. No viaduto Sávio Gama (centro de Volta Redonda), o Vectra de Silva foi fechado pelos dois veículos, por volta das 4h40 da madrugada de sábado.


De acordo com imagens feitas por câmeras da Central de Trânsito da prefeitura, o construtor foi arrancado do carro, arrastado e agredido a socos e pontapés. O grupo quebrou os vidros do Vectra e amassou o capô. Em seguida, atirou Silva do viaduto, de uma altura de aproximadamente três metros. O construtor foi imediatamente socorrido e levado para o hospital.


Após verem as imagens, técnicos da prefeitura acionaram a PM, que prendeu os sete rapazes. A prisão também foi registrada pelas câmeras. Os agressores foram identificados como os irmãos Felipe e Henrique Barros de Carvalho, Marco Aurélio Raimundo, 24 anos, Ádamo Granato Ferraz, 20 anos, Rafael Alves Monteiro de Barros, 23 anos, Glauco Silva Oliveira, 21 anos, e Ricardo Machado de Abreu, 20 anos. A reportagem não conseguiu localizar o advogado do grupo.


O delegado Daniel Goulart informou que o grupo é suspeito de ter participado de um ataque à casa do empresário Juarez Augusto Alves em Barra Mansa, em outubro do ano passado.

De acordo com Goulart, na ocasião cerca de 15 jovens encapuzados invadiram a residência de Alves com objetivo de agredir seu filho. Como não o encontraram, destruíram o imóvel usando bastões de beisebol. Caso fique comprovada a participação dos sete rapazes no episódio, eles poderão ser acusados também de formação de quadrilha.


Continue lendo

Últimas notícias

Publicidade