Pesquisar

Canais

Serviços

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Maringá

Homem é detido pela Polícia Federal por vender mercadorias falsas pela internet

Isabella Alonso Panho* - estagiária
09 set 2020 às 09:24
- Divulgação/Polícia Federal
siga o Bonde no Google News!
Publicidade
Publicidade

Um homem de 42 anos foi detido pela Polícia Federal de Maringá nesta terça-feira (8) por praticar fraudes através da plataforma de compras Mercado Livre.


Segundo informações do órgão que realizou a prisão, o homem já era investigado há seis meses. Ele era proprietário de uma empresa de informática e anunciava os produtos através do site. Contudo, depois que recebia os pagamentos, não enviava os equipamentos comprados.

Cadastre-se em nossa newsletter

Publicidade
Publicidade


Boletim: Maringá registra nova morte por Covid-19 e mais 72 casos confirmados

Leia mais:

Imagem de destaque
Estilo 'jogo do tigrinho'

Mulher envolvida na exploração de jogos de azar online é presa em Arapongas

Imagem de destaque
Arma tinha registro

Ladrão invade loja de celular para roubar e dono reage com 5 tiros no Paraná

Imagem de destaque
35% dos veículos atingidos

Suspeito de ter iniciado incêndio no pátio de veículos da Polícia Civil em Londrina é identificado

Imagem de destaque
Homicídio

Homem é morto a tiros nesta sexta-feira em Sertanópolis


No seu lugar, ou enviava encomendas vazias ou objetos sem valor comercial, como pedaços de persiana quebrada e CDs virgens embalados em plástico bolha. O homem colocava o CEP do comprador, mas com outro nome, utilizando um código de PLP (pré-lista de postagem) disponibilizado pela plataforma do Mercado Livre, o que fazia a mercadoria constar como entregue no sistema.

Publicidade


A polícia estima que ele tenha feito cerca de 1.300 entregas utilizando esse mesmo esquema.


Sua prisão foi realizada com apoio dos Correios no momento em que ele postava novas encomendas fraudadas. Ele responderá pelos crimes de estelionato qualificado e de falsificar, fabricar ou adulterar, selo, outra fórmula de franqueamento ou vale-postal.

*Sob supervisão de Rafael Machado.


Publicidade

Últimas notícias

Publicidade