Pesquisar

Canais

Serviços

Agia no Paraná

Líder de quadrilha diz que roubava banco para pagar tratamento de saúde

- Carlos Soares/DPC
Redação Bonde com Polícia Civil
23 dez 2015 às 13:38
Continua depois da publicidade
Continua depois da publicidade

Um homem identificado como líder de uma quadrilha suspeita de praticar assaltos a bancos em Curitiba, foi preso pela polícia na tarde de segunda-feira (21), na Zona Sul do Estado de São Paulo (SP), nas proximidades da região de Campo Limpo.

Continua depois da publicidade

Sandro José Pinetti,40 anos, foi detido por policiais civis do Centro de Operações Policiais Especiais (Cope), com o apoio da Polícia Civil de São Paulo.


Segundo investigações Pinetti é suspeito de comandar uma quadrilha que assaltou três agências bancárias nos dias 17, 24 e 25 de novembro deste ano, nos bairros Pinheirinho e Boqueirão localizados em Curitiba.


Ao ser interrogado pela polícia o suspeito confessou o crime, alegando que cometeu os assaltos porque precisava custear um tratamento de saúde.


Portando armas de fogo e simulacro, o bando agia sempre da mesma forma, entrando nas agências bancárias, rendendo funcionários e clientes, e levando todo o dinheiro que havia nos caixas. Somando as três ações criminosas, estima-se que a quadrilha levou mais de R$ 150 mil em dinheiro e cinco armas de fogo tomadas nos assaltos de vigilantes.

Continua depois da publicidade


"A partir das informações angariadas no inquérito policial, representamos pela prisão preventiva do suspeito e em posse do mandado de prisão e com a colaboração da Polícia Civil de São Paulo, Pinetti foi localizado e preso", explica o delegado-titular do Cope, Rodrigo Brown.


Investigações apuraram que Pinetti vinha de São Paulo com os seus comparsas para Curitiba, cometia o roubo e fugia novamente para o estado vizinho. O suspeito já possuía passagens pela polícia pelos crimes de homicídio qualificado, roubo agravado, formação de quadrilha, posse de entorpecentes, resistência e falso testemunho.

Pinetti responderá pelos crimes de associação criminosa e roubo agravado.


Continue lendo

Últimas notícias

Publicidade