Pesquisar

Canais

Serviços

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Mandados foram cumpridos

Polícia investiga universitários de Foz do Iguaçu suspeitos de integrar grupos nazistas

Douglas Kuspiosz - Especial para a Folha de Londrina
11 jul 2023 às 19:44
- Fabio Dias/PCPR
siga o Bonde no Google News!
Publicidade
Publicidade

A PCPR (Polícia Civil do Paraná) investiga três universitários de Foz do Iguaçu (Oeste) por suspeita de envolvimento com grupos nazistas na internet. Foram cumpridos três mandados de busca e apreensão e três de monitoração eletrônica na segunda-feira (10). 


As investigações começaram após a Polícia Civil ter acesso a prints de conversas e postagens feitas por um dos acusados em um grupo da faculdade. As mensagens podem ser classificadas como conteúdo de ódio, segundo a polícia.

Cadastre-se em nossa newsletter

Publicidade
Publicidade


De acordo com o delegado Rodrigo Souza, responsável pelas investigações, em uma análise preliminar dos celulares apreendidos foram encontrados conteúdos “de nazismo, racismo e outros crimes”.

Leia mais:

Imagem de destaque
Peabiru

PRE apreende eletrônicos e mais de 200 vinhos importados em rodovia no PR

Imagem de destaque
Crime de estupro

Dois homens condenados por crimes sexuais são presos em Campo Mourão

Imagem de destaque
Crime ocorreu em 2017

Homem condenado por estuprar a própria neta é preso em Maringá

Imagem de destaque
Caminhoneiro estava dormindo

Motociclista morre após colidir com carreta estacionada na marginal da PR-444 em Arapongas


A FOLHA teve acesso a duas imagens encaminhadas pela Polícia Civil. Na primeira, são vistas três pessoas, que não são os investigados, vestindo roupas da Ku Klux Klan, um movimento supremacista branco dos Estados Unidos. Na outra, é possível ver que o papel de parede do computador de um dos acusados é uma imagem do Massacre de Columbine, que ocorreu em 1999, também nos Estados Unidos, quando dois alunos invadiram a escola Columbine High School e mataram 13 pessoas.


O delegado explica que os suspeitos utilizavam programas para mascarar o IP dos dispositivos eletrônicos - como celulares e computadores - para acessar grupos de disseminação de ódio na internet. A tendência é que a perícia dos aparelhos traga mais informações para o trabalho policial. 


CONTINUE LENDO NA FOLHA DE LONDRINA:

Imagem
Universitários suspeitos de integrar grupos nazistas são investigados em Foz do Iguaçu
A Polícia cumpriu seis mandados judiciais contra o trio, que compartilhava conteúdo de ódio na internet
Publicidade

Últimas notícias

Publicidade