Pesquisar

Canais

Serviços

Publicidade
Há 23 anos

Vanda Pepiliasco, condenada por matar a empregada, é presa em Cuiabá

Fernanda Circhia - Redação Bonde
01 dez 2016 às 20:08
siga o Bonde no Google News!
Publicidade
Publicidade

Vanda Pepiliasco, condenada pela morte da empregada Cleonice Fátima Rosa, à época com 22 anos, em um apartamento no centro de Londrina, foi presa na manhã desta quinta-feira (1º), em Cuiabá (MT). A situação ocorreu em 10 de julho de 1993, na rua Goiás.

No entanto, a artista plástica foi a júri popular em maio de 2015. Na ocasião, o Ministério Público e a defesa recorreram e sua pena foi revisada pelo Tribunal de Justiça. Inicialmente, foi condenada em oito anos e seis meses de prisão a ser cumprida em regime inicial fechado. "Desta decisão tanto a defesa quanto a acusação interpuseram recurso de apelação, tendo o Tribunal de Justiça dado parcial provimento aos apelos, readequando e reduzindo a pena para 08 (oito) anos e 04 (quatro) meses de reclusão, mantendo o regime inicial fechado", diz o processo. Mas no final de mês de julho, o advogado de Vanda, Walter Bittar, conseguiu um habeas corpus.

Cadastre-se em nossa newsletter

Publicidade
Publicidade


De acordo com o promotor responsável pelo caso, Ricardo Alves Domingues, o novo mandado foi expedido devido ao novo entendimento do Supremo Tribunal Federal em relação às prisões de condenados em segunda instância. Vanda vai começar a cumprir a pena em Londrina, mas ainda não há informações de quando ela chega.

Leia mais:

Imagem de destaque
PR-092

Motociclista morre ao bater contra caminhão em Siqueira Campos

Imagem de destaque
Após oito anos

Homem que tentou atear fogo na ex-companheira vai a júri em Londrina

Imagem de destaque

Casal é detido por tentar matar homem por R$ 800 de dívida com o tráfico

Imagem de destaque
Condutor fugiu

Polícia apreende quase 100 kg de maconha em Jaguapitã


A decisão do STF foi mantida no dia 5 de outubro deste ano. Em fevereiro, o STF revisou a jurisprudência para admitir que o princípio constitucional da presunção de inocência cessa após a confirmação da sentença pela segunda instância.

A reportagem tentou contatar o advogado da artista plástica, Walter Bittar, por telefone, mas sem sucesso.


Receba notícias do Bonde no Whatsapp/Telegram e fique por dentro de tudo!
Publicidade

Últimas notícias

Publicidade