Pesquisar

Canais

Serviços

Publicidade
Local em obras

Violência no Bosque Central sofre escalada nos últimos três anos

Rafael Machado - Grupo Folha
10 nov 2021 às 19:03
- Emerson Dias/N.Com
siga o Bonde no Google News!
Publicidade
Publicidade

O atraso na entrega da revitalização não é o único problema que a Prefeitura de Londrina está tendo em relação ao Bosque Central. A obra foi adiada pela quinta vez consecutiva, com a promessa de que será finalizada de vez no dia 5 de dezembro. Enquanto isso, a equipe do prefeito Marcelo Belinati (PP) tenta encontrar maneiras de resolver outra reivindicação antiga dos moradores: a segurança, ou melhor, a falta dela. 


Nos últimos cinco anos, a criminalidade no Bosque aumentou bastante. É o que mostram os próprios boletins de ocorrência da Guarda Municipal, obtidos pela FOLHA por meio da Lei de Acesso à Informação. No período pesquisado, os registros quase quadruplicaram. Entre 2017 e 2021, foram 58 BOs. A divisão ficou assim:

Cadastre-se em nossa newsletter

Publicidade
Publicidade


2017 - cinco boletins

Leia mais:

Imagem de destaque
Segundo a Polícia Federal

Grupo criminoso faturou R$ 100 mi com golpe de critomoedas no PR e SC

Imagem de destaque
Sequestrada em Curitiba

Polícia Civil localiza no Paraguai criança de 7 anos desaparecida desde dezembro

Imagem de destaque
Droga seria entregue em Londrina

Polícia Rodoviária Federal apreende 45 quilos de cocaína em Arapongas

Imagem de destaque
11 mandados de prisão

Polícia Civil desmantela quadrilha acusada de traficar animais silvestres no Paraná e em Santa Catarina


2018 - dois

Publicidade


2019 - 12


2020 - 20

Publicidade


2021 (até setembro) - 19


Crimes mais comuns

Publicidade


Os agentes são chamados de diversas formas, seja pela Central de Comunicação e Monitoramento (GCOM), por pessoas que passam pelo local ou em atendimento a flagrantes durante patrulhamento preventivo. O levantamento fornecido pela reportagem aponta que os furtos e o tráfico de drogas são os crimes mais rotineiros. A lista também informa que a GM realiza muitas abordagens de suspeitos. Porém, como nada de ilícito foi encontrado, os casos não são encaminhados para a Polícia Civil.


O crime mais chocante foi o assassinato do cozinheiro Fábio Ábila, encontrado morto no meio da vegetação do lugar histórico em outubro de 2019. A Delegacia de Homicídios descobriu que o autor foi Fernando Inácio Andrade, o mesmo que confessou a morte do recepcionista Hannan Silva alguns dias depois na Praça Rocha Pombo, também na área central. 


CONTINUE LENDO: Conheça os horários em que ocorrem mais crimes no Bosque Central, de acordo com os boletins de ocorrência

Publicidade

Últimas notícias

Publicidade