Pesquisar

Canais

Serviços

Publicidade
"Foi um grande presidente"

Moraes diz que Temer sofreu injustiças, mas que 'não apagaram o sucesso do seu governo'

Folhapress
04 abr 2024 às 12:30
- Fábio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil
siga o Bonde no Google News!
Publicidade
Publicidade

O ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) Alexandre de Moraes disse, nesta quarta-feira (3), que o ex-presidente Michel Temer (MDB) sofreu "injustiças dolosas", mas que "não apagaram o sucesso do seu governo".

Cadastre-se em nossa newsletter

Publicidade
Publicidade


Leia mais:

Imagem de destaque
Acordo com MPPR

Ex-prefeito de Ivaiporã Pedro Papin vai devolver mais de R$ 1,3 milhão à Prefeitura

Imagem de destaque
Coronel do Exército

Alexandre de Moraes solta ex-assessor de Bolsonaro investigado por trama golpista

Imagem de destaque
Entenda!

Estudo avalia reduzir número de cidades da Região Metropolitana de Londrina

Imagem de destaque
Sai Alexandre de Moraes

André Mendonça, ministro do STF, é eleito para o TSE

Moraes citou como exemplos do sucesso da gestão Temer as privatizações e reformas do período, como a trabalhista. O discurso foi realizado em evento de entrega de título de cidadão ao ex-presidente pela Câmara Legislativa do Distrito Federal. Moraes foi ministro da Justiça no governo do emedebista.

Publicidade


Ao ser anunciado, Moraes recebeu tanto vaias quanto aplausos da plateia que acompanhava a solenidade. "Foi um grande presidente. Um presidente sério, um presidente trabalhador", afirmou.


Além deles, o ministro Dias Toffoli e o governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha (MDB), também estiveram presentes na cerimônia.

Publicidade


Moraes foi indicado ao Supremo em fevereiro de 2017, pelo então mandatário, para a vaga aberta na corte em decorrência do falecimento do ministro Teori Zavascki.


Durante o seu período na presidência, Temer foi delatado pelo empresário Joesley Batista, do grupo J&F. Ele foi denunciado pela PGR (Procuradoria-Geral da República) durante o exercício do mandato e, após deixar o Palácio do Planalto, chegou a ser preso em um desdobramento da Operação Lava Jato, em 2019.

Publicidade


Em 2021, Moraes anulou a decisão da Lava Jato do Rio de Janeiro que transformou em réus Temer e o ex-ministro de Minas e Energia, Moreira Franco, ambos do MDB. Ele era acusado de chefiar uma organização criminosa que desviava recursos das obras da usina nuclear de Angra 3.


O magistrado afirmou que o juiz Marcelo Bretas, titular da 7ª Vara Federal Criminal do Rio, não deveria ser o responsável por julgar a denúncia do Ministério Público Federal contra os políticos e, por isso, as decisões do magistrado sobre o caso têm de ser anuladas.


Moraes, então, determinou o envio das ações para a Justiça Federal no Distrito Federal.


Imagem
Exército abre concurso público com 163 vagas na área da saúde
As Forças Armadas abriram concurso público para formação de oficiais dos serviços de saúde.
Imagem
Alunos da UTFPR Londrina criam veículo elétrico movido a hidrogênio
Com uma formato que lembra ao de uma gota e uma proposta de mobilidade a partir da célula do hidrogênio, a equipe “Tubaturbo” pretende ganhar a competição Shell Eco-Marathon Brazil.
Publicidade

Últimas notícias

Publicidade