Pesquisar

Canais

Serviços

Arquivo FOLHA
Continua depois da publicidade
Continua depois da publicidade
Bilhete foi encontrado

Suspeito de estupro contra enteada de 12 anos é preso em Santo Antônio da Platina

Vitor Ogawa/Grupo FOLHA
03 dez 2021 às 08:37
Continua depois da publicidade

Um homem foi preso em Santo Antônio da Platina (Norte Pioneiro), suspeito de ter cometido estupro contra a sua enteada de 12 anos. A menina escreveu um bilhete pedindo ajuda, mas não chegou a assinar o papel. “Eu sou abusada e estuprada. Socorro. Ajude-me. Me mate de uma vez. Não vai ser a primeira, nem a última vez.”

Continua depois da publicidade
PUBLICIDADE


Segundo o delegado Rafael Pereira Gabardo, o bilhete foi encontrado em frente ao banheiro feminino da escola onde a vítima estuda. Mesmo sem a assinatura no bilhete, a direção da instituição de ensino conseguiu descobrir quem escreveu o recado.

Continua depois da publicidade
Continua depois da publicidade


“Ela fez o relato espontâneo de que desde os 7 anos ela sofre abusos sexuais por parte do padrasto. Isso ocorria quando a mãe saía para trabalhar. O caso foi encaminhado à delegacia e foram tomadas as providências.” O delegado expôs que a Justiça decretou que o suspeito, um indivíduo de 36 anos e que não tem passagens pela Polícia, se afastasse do lar e evitasse o contato com a vítima. 


“Contudo, a nossa equipe tomou conhecimento que o suspeito ainda frequentava o lar e tinha contato com a vítima, razão pela qual eu representei pela prisão preventiva do suspeito, a qual foi decretada pelo poder judiciário”, reforçou Gabardo. 


“A defesa do suspeito tomou conhecimento da expedição do mandado e acabou apresentando o cliente espontaneamente”, afirmou o delegado. Isso ocorreu na terça-feira (30). “É importante ressaltar que a vítima foi encaminhada ao IML (Instituto Médico-Legal) e o perito constatou sinais de violência sexual, razão pela qual o inquérito foi concluído e o suspeito foi indiciado pela prática de esupro de vulnerável cuja pena de reclusão é de oito a 15 anos”, apontou o delegado. 

Continua depois da publicidade


O acusado negou totalmente os fatos. O advogado do padrasto, Jéfoni Nogari, afirmou que o processo está protegido por sigilo de Justiça. 


“As informações que a gente pode passar são bem poucas. Por enquanto a defesa dele pode falar que a instrução do processo está se iniciando neste momento. Até então tinha o inquérito. Agora vamos comprovar que ele é inocente. A defesa nega veementemente as acusações e afirma que tudo será esclarecido no exercício do contraditório e da ampla defesa.” Ele ressaltou que seu cliente neste momento está tranquilo, ele foi apresentado por mim antes do mandado de prisão ser cumprido. 


Eu o orientei a se entregar justamente porque ele tem a plena convicção da inocência dele. A defesa aguarda ansiosamente pela oitiva da vítima para que tudo seja esclarecido. Enquanto isso, a defesa está fazendo uso dos meios jurídicos adequados para fazer com que o cliente responda em liberdade”, afirmou. O suspeito está em uma unidade prisional da região. 


Continue lendo na Folha de Londrina.

Continue lendo