Pesquisar

Canais

Serviços

- Divulgação
Sem cheiro ruim

Coifa ou depurador: qual é a melhor opção para sua cozinha?

Redação Bonde com Assessoria de Imprensa
06 set 2021 às 15:27
Continua depois da publicidade
No conceito de uma cozinha super bem planejada, uma prova de fogo para os moradores acontece quando se constata que gorduras e odores oriundos dos pratos preparados não impregnam o local e, tão pouco, circulam pelos demais ambientes da casa. Essa preocupação é ampliada quando pensamos nos projetos com ambientes integrados, quando a cozinha se destaca na área social e está posicionada, lado a lado, com as salas de estar e jantar.


Por isso, os moradores que não desejam vivenciar com o dissabor de conviver com os cheiros da cozinha não podem abrir mão dos itens que são verdadeiros amigos: as coifas e depuradores que, em linhas gerais, exercem a função de filtrar o ar e contribuir na eliminação de cheiros, fumaças e gorduras. Junto com o design moderno, que complementa o décor, a aparência similar pode dar a entender que ambos são muito parecidos. “Mas a verdade é que cada um dispõe de características específicas que devem ser analisadas para a especificação no projeto”, explica arquiteta Fernanda Hardt, sócia de Juliana Rinaldi no escritório Mirá Arquitetura.

Continua depois da publicidade


As diferenças

Continua depois da publicidade


O primeiro passo é compreender as diferenças que marcam os eletrodomésticos, uma vez que cada um possui um sistema de filtragem na indicação do uso. Menos potente que a coifa, o depurador é um aparelho com uso mais adequado para cozinhas pequenas e moradores que não costumam cozinhar com muita frequência. Com um funcionamento simples, ele suga o ar com a fumaça e gordura espalhados no local, fazendo uma purificação e devolvendo para o ambiente sem qualquer odor. “Por apresentar funções simplificadas, o preço do depurador é menor, podendo oferecer um bom custo-benefício para o consumidor”, ressalta Juliana.


Mais potente e completa, a coifa, que também cumpre a função de exaustor, é essencial em ambientes integrados e é adequada para qualquer tipo de cozinha, seja ela grande ou pequena. O aparelho filtra o ar enfumaçado de gordura, envia para fora do ambiente e substitui por um ar frio e limpo, tudo isso através de um filtro de inox ou alumínio. Porém, para que todo esse processo aconteça, é preciso que a cozinha conte com a estrutura de uma saída de ar. “Esse é um desafio que encontramos nos projetos. Em muitos edifícios a construtora não prevê a passagem do duto e, por isso, em muitas ocasiões, embora a melhor resposta seria com a coifa, instalamos o depurador como uma solução mais viável”, relata Fernanda. 

Continua depois da publicidade


Instalação


Conhecendo as características de coifas e depuradores, é possível avaliar qual dos dois produtos se encaixará melhor no projeto da cozinha. Contudo, a escolha entre um e outro também deve passar pela análise da infraestrutura do ambiente, sendo que o arquiteto responsável pelo projeto deve observar se existe saída para a parte externa, se o forro é de gesso, se é possível usar a laje para fixação e se a parede possui canos e fiação elétrica, entre outros cuidados que evitarão acidentes ou dores de cabeça futuramente. Após observar estes pontos, é hora de escolher o local onde o aparelho será instalado – ele deve ficar centralizado junto ao fogão ou cooktop, próximo a uma tomada e, se possível, perto de uma saída de ar.


Obedecer a distância do fogão ou cooktops reflete diretamente no bom funcionamento da coifa e depurador sendo que, na maioria dos casos, essa distância é de 65 cm, mas para não errar, o usuário pode verificar nas instruções descritas no manual do produto. “A instalação do eletrodoméstico pode ser feita quando a reforma já estiver quase concluída, de forma a evitar danos. Se for um depurador embutido, será preciso esperar a instalação da marcenaria para conseguir fazer a instalação”, alerta Fernanda. 


Inserindo a coifa na decoração


Ao contrário do depurador, a coifa ocupa um grande espaço na cozinha, consequentemente, se destacando no visual do ambiente. Com isso, também ganha a função de elemento decorativo no cômodo, precisando harmonizar com o estilo do projeto e o restante dos eletrodomésticos.


Sendo assim, o design e acabamento do duto e da aba são primordiais: geralmente são produzidos em aço inox e vidro, sendo que os modelos feitos de aba de vidro acabam transmitindo leveza e delicadeza para o ambiente. Em contrapartida, as coifas de aço inox tem um aspecto industrial e ficam muito bem em propostas de décor com ares mais rústicos e imponentes.


Agora, para quem não quiser que a coifa seja a estrela da cozinha, é possível camuflá-la através da marcenaria. Essa alternativa deixa o lugar com um visual mais clean, todavia diminui um pouco mais o espaço de armazenamento. “Por conta do motor, o equipamento acaba esquentando. Por isso, não é recomendado deixar alimentos nessa parte do armário, ou outros itens que não suportem a variação de temperatura”, aconselha.


Cuidados e manutenção


Como qualquer outro aparelho dentro da uma residência, coifa e depurador necessitam de alguns cuidados e higienização regular, de preferência, a cada quinze dias. Para não danificar o produto, a limpeza deve ser feita com um pano úmido e sabão neutro e filtro metálico, no caso da coifa, precisa ser limpo com a frequência mínima de uma vez por semana. Dependendo da marca e modelo, alguns filtros podem ser lavados em uma máquina de lavar louça, fazendo com que o morador conte com mais agilidade ao limpar.


 “As coifas que possuem os dutos aparentes em inox podem ser limpas da mesma forma que os outros eletrodomésticos, como a geladeira, por exemplo”, auxiliam Juliana e Fernanda.

As arquitetas ressaltam que os depuradores têm sido o mais utilizado nos projetos, pois a infraestrutura deixada pela construtora prevê cada vez menos a saída para coifa. Além disso, por ser um item menor, pode ser embutido nos armários superiores, permitindo que o morador ganhe um pouco mais de espaço de armazenamento.

Continue lendo