Pesquisar

Canais

Serviços

Continua depois da publicidade
Continua depois da publicidade
Tudo em cima

Conheça detalhes das 9 cirurgias plásticas mais realizadas no Brasil

Redação Bonde
14 ago 2014 às 13:12
Continua depois da publicidade

Com o avanço da tecnologia, as técnicas cirúrgicas são cada vez mais aperfeiçoadas. Para esclarecer cada uma delas, Fabrício dos Santos Veloso - anestesiologista e diretor clínico da clínica Dream Plastic - esclarece os detalhes de como cada um desses procedimentos são feitos. Confira!

Continua depois da publicidade

1. Rinoplastia

Continua depois da publicidade


A remodelagem nasal ou rinoplastia pode ajudar a corrigir a aparência desproporcional do nariz ou ainda alterar o seu tamanho e formato. A correção de defeitos de nascença ou decorrentes de acidentes é outra razão para essa intervenção. Os problemas respiratórios crônicos também podem justificar a opção pela rinoplastia. No caso estético, a remodelagem nasal é uma aliada importante da autoestima, uma vez que o nariz, por ocupar o centro do rosto, tem um papel de destaque no bem-estar dos indivíduos.


Idade: A partir dos 15 anos;

Continua depois da publicidade


Anestesia: Local com sedação;


Duração da cirurgia: Em média, entre 1 e 2 horas;


Cicatriz: Não há cicatriz externa visível, com exceção da cirurgia em que se reduz os orifícios nasais.


2. Otoplastia (orelha de abano)


Causa de inúmeros constrangimentos na infância e na vida adulta, a orelha de abano é um defeito que pode ser corrigido a partir dos 6 anos de idade. A cirurgia tem como objetivo corrigir as alterações estéticas do formato da orelha, deixando-a com aparência natural e harmoniosa. Com duração de até 2 horas, a intervenção elimina um problema físico, que tem sérias repercussões psicológicas. O risco do procedimento é semelhante ao da extração de um dente, isto é, muito pequeno.


Idade: a partir dos 6 anos;


Anestesia: local com sedação;


Duração da cirurgia: em média, 1 hora e meia;


Cicatriz: nenhuma cicatriz externa aparente.


3. Ninfoplastia (cirurgia íntima)


Esta cirurgia, embora proporcione resultados discretos, traz melhorias significativas na autoestima e na vida sexual da paciente. A aparência da genitália feminina, caso dos pequenos lábios vaginais aumentados e assimétricos, pode influir não só no bem-estar da mulher como acarretar em desconforto durante as relações sexuais. A correção dessa anormalidade é feita por meio de um procedimento seguro, rápido e eficaz. Dessa forma, a redução dos pequenos lábios pode ser realizada com anestesia local e sedação e dura cerca de 30 minutos. Ainda em relação às cirurgias íntimas, outra intervenção comum é a lipoaspiração do Monte de Vênus, o que permite harmonizar a aparência púbica de vaginas muito volumosas.


Idade: a partir dos 18 anos;


Anestesia: local com sedação;


Duração da cirurgia: em média 30 minutos;


Cicatriz: praticamente imperceptível.


4. Mamoplastia de aumento (prótese de silicone)


A mais comum das cirurgias plásticas deve ser realizada a partir do término do desenvolvimento mamário, no fim da adolescência. A análise médica considera fatores como a estrutura do corpo da paciente, sua altura e largura do tórax, volume dos seios naturais, qualidade da pele e estilo de vida. Existem três vias para a colocação da prótese, sendo a mais comum através dos sulcos inframamários (por baixo das mamas). As outras opções se dão através das axilas ou pelas auréolas.


Os formatos das próteses de silicone variam conforme a preferência da paciente e a opinião do médico, podendo ser divididos em quatro categorias: moderado, alto, superalto e anatômico. O perfil mais procurado é o alto, de base média e com grande projeção para frente. Isso porque ele preenche o colo da mulher. Enquanto a prótese superalta, de base menor e maior projeção, é indicada em casos específicos de tórax estreito.


As próteses de perfil moderado e anatômico são muito pouco indicadas. O perfil moderado é redondo e achatado, aumenta os seios para os lados sem muita projeção para frente. Ele costuma ser procurado por mulheres que desejam acentuar as curvas da silhueta e que têm seios muito próximos. Já o modelo anatômico, com formato de gota, possui projeção frontal menor e é recomendado para casos de reconstrução mamária após câncer de mama.


Idade: fim da adolescência;


Anestesia: local com sedação ou peridural com sedação;


Duração da cirurgia: em média, 1 hora;


Cicatriz: discreta e pequena.


5. Mastopexia com prótese


A mastopexia pode ser entendida, de forma simplificada, como o levantamento das mamas. Essa intervenção corrige mudanças ocorridas nas mamas decorrentes da genética, envelhecimento, gravidez e amamentação. O ganho e a perda de peso, além das mudanças hormonais, igualmente podem interferir na simetria ou firmeza das mamas.


Há a necessidade de implante de próteses de silicone em casos de queda das mamas associada ao volume mamário insuficiente.


6. Mamoplastia redutora


O bem-estar estético não ocorre somente com o aumento do tamanho das mamas, mas também pela sua redução. Trata-se da mamoplastia redutora, que é a remoção do tecido mamário em excesso. As mulheres que passam por esse tipo de cirurgia livram-se de problemas de saúde como dor nas costas e no pescoço e irritações cutâneas nas dobras abaixo das mamas. A assimetria das mamas também pode ser minimizada com a mamoplastia redutora. O resultado são seios mais firmes e uma qualidade de vida melhor para a mulher.



7. Abdominoplastia


A flacidez da pele abdominal é um problema que incomoda muitas pessoas. No caso das mulheres, gestações múltiplas e a própria genética podem contribuir não só para a frouxidão como também para o depósito de gorduras e estrias na região abdominal, abaixo do umbigo. Até a perda de peso substancial pode contribuir para o desenvolvimento de flacidez de pele abdominal. Em função da pele não responder muito bem a uma dieta e à prática de exercícios, o abdômen pode assumir um tamanho desproporcional, problema corrigido pela abdominoplastia. Mais que retirar o excesso de pele, essa cirurgia reúne os músculos reto abdominais, eliminando a aparência de "dilatação" do abdômen.


Idade: quando for decidido não ter mais filhos, pois uma gestação pode comprometer o resultado da cirurgia;


Anestesia: peridural com sedação;


Duração da cirurgia: em média, entre 2 e 3 horas;


Cicatriz: na altura inferior do abdômen, podendo ser escondida sob o biquíni ou roupa íntima.


8. Miniabdominoplastia


Ao contrário da lipoaspiração, a abdominoplastia é uma cirurgia plástica que tem uma versão de menor porte reconhecida e autorizada pelo Conselho Federal de Medicina. A chamada miniabdominoplastia adota um procedimento semelhante à abdominoplastia tradicional, diferindo em dois aspectos: além de não "amarrar" a musculatura reto abdominal, essa cirurgia tem como principal objetivo eliminar o excesso de pele no abdômen da paciente. Portanto, um fator decisivo na indicação é a intensidade da flacidez de pele abdominal.


Por tratar um perfil de paciente muito específico, pessoas magras com ligeira flacidez, a miniabdominoplastia raramente é indicada. A lipoaspiração se mostra mais comum e capaz de trazer os mesmos resultados, uma vez que a pele da região lipoaspirada costuma responder com uma retração após a cirurgia. Cabe ao cirurgião plástico eleger o procedimento mais adequado para cada pessoa. E atenção: os cuidados e as exigências em relação à miniabdominoplastia são exatamente os mesmos da versão original da cirurgia.


Quesitos como hospital e anestesia não são reduzidos como o porte da cirurgia.


9. Lipoaspiração


A lipoaspiração ou lipoplastia é um dos procedimentos mais comuns em cirurgia plástica e pode ser realizada em várias partes do corpo. Ela nada mais é do que a remoção do excesso de tecido adiposo. Com isso, o cirurgião plástico devolve o contorno corporal da paciente, criando uma aparência mais emagrecida. A cirurgia pode ser realizada isoladamente ou associada a outros procedimentos. É muito importante destacar que a lipoaspiração não é um tratamento eficaz para celulite ou obesidade. É possível aproveitar parte da gordura retirada e enxertá-la em alguma outra região do corpo, de forma a realçá-lo. Essa técnica é a chamada Lipoescultura. Também vale destacar que, após uma lipoaspiração, torna-se mais difícil engordar
no local operado devido à retirada das células gordurosas.


Lipoaspiração de abdômen, flancos e dorso


Idade: após a adolescência;


Anestesia: peridural com sedação;


Duração da cirurgia: em média, 3 horas;


Cicatriz: cortes pequenos, menores que 1 cm.


Lipoaspiração de braço


Idade: após a adolescência;


Anestesia: peridural ou local, ambas com sedação;


Duração da cirurgia: em média, 30 minutos;


Cicatriz: cortes pequenos, menores que 1 cm.


Lipoaspiração de coxa


Idade: após a adolescência;


Anestesia: peridural com sedação;


Duração da cirurgia: em média, 30 minutos;


Cicatriz: cortes pequenos, menores que 1 cm.


Lipoaspiração de culotes


Idade: após a adolescência;


Anestesia: peridural com sedação;


Duração da cirurgia: em média, 30 minutos;


Cicatriz: cortes pequenos, menores que 1 cm.


Lipoaspiração de pescoço (papada)


Idade: após os 25 anos;


Anestesia: local com sedação;


Duração da cirurgia: em média, 15 minutos;

Cicatriz: discreta, na região sob o queixo.


Continue lendo