Pesquisar

Canais

Serviços

Publicidade
Virais no TikTok

Veja se sérum para crescimento dos cílios funciona

Danielle Castro - Folhapress
16 mai 2023 às 13:56
- Pexels
siga o Bonde no Google News!
Publicidade
Publicidade

Baby Lash Essential e My Lash. Esses são os nomes de produtos que prometem promover o crescimento dos cílios e viraram febre em redes sociais como Tiktok. Usuárias e influenciadoras garantem que os produtos promovem olhar com contraste sem genética ou maquiagem, usando apenas os séruns.


Cadastre-se em nossa newsletter

Publicidade
Publicidade

Segundo fabricantes, essas substâncias seriam capazes de aumentar os fios em prazos que variam de 4 a 12 semanas. Especialistas afirmam, porém, que faltam evidências científicas da eficácia dos produtos. O que pode ocorrer é uma maior proteção e redução do desgaste natural dos cílios.

Leia mais:

Imagem de destaque
Faça já!

De chás à drenagem, veja seis dicas para fazer um detox pós-Carnaval

Imagem de destaque
Prepare-se!

Hot pants e ombreiras devem dominar os looks no Carnaval 2024

Imagem de destaque
Folia

Moda do Carnaval 2024 tem top de miçangas e Beyoncé e Barbie como inspirações

Imagem de destaque
Arrasou!

Blue Ivy, filha de Beyoncé, usa marca de designer brasileira na cerimônia no Grammy


Segundo médicos, só medicamentos podem promover tal crescimento -e, por serem remédios, não podem ser usados sem acompanhamento profissional.

Publicidade


O QUE DIZEM SOBRE OS PRODUTOS E QUANTO DISSO É REAL?


Com um vídeo que alcançou 1,8 milhão de pessoas, a influenciadora Stefany D'Arezzo relata que o sérum Babe Lash, da marca Babe Original, aumentou seus cílios. "Não é publicidade, queria que fosse, porque não estaria pagando tão caro nesse produto, mas é porque é uma dica boa mesmo", diz a influencer.

Publicidade


Ela conta que aplicou o produto por cerca de dois meses. "Uma coisa que acontece também com esse sérum é que fica um pouco mais escuro na área que você coloca, então, por isso que não é muito indicado colocar na parte de baixo dos olhos", afirma.


Seu preço varia entre US$ 29 e US$ 89, e o produto deve ser aplicado todas as noites. A fabricante afirma que, em seis semanas, 88% das clientes teriam percebido cílios mais longos e 86% mais volume. A interrupção do uso, segundo a Babe Original, faz os cílios voltarem ao que eram antes.

Publicidade


Outro queridinho das blogueiras é o My Lash, soro de cílios da Etude House. Primeiro no ranking nacional de mais vendidos em tratamento para cílios da Amazon, com mais de mil avaliações, custa R$ 77,90.

Fabiane Mulinari Brenner, médica e membro da diretoria da SBD (Sociedade Brasileira de Dermatologia), afirma que não existem evidências científicas que comprovem a eficácia do produto.

Publicidade


"Existem produtos que visam aumentar o aporte de nutrientes para essa região com um potencial de crescimento mais rápido. Cientificamente, a gente não tem evidência de que exista, mas temos de que este cílio pode ser protegido e crescer, sim, além do que estava previamente, porque está protegido de alguma forma por esse produto mais hidratante", destaca Brenner, que também é professora de UFPR (Universidade Federal do Paraná)


Pacientes que coçam muito a região da pálpebra ou têm alguma outra desordem ocular que exija uso de colírio ou óculos de proteção podem ter traumas nesta área dos cílios, o que gera um encurtamento natural. Por essa razão, a proteção dos cílios trazida por alguns produtos pode ser confundida com aumento real.

Publicidade


O tingimento da pálpebra relatado no Babe Lash, entretanto, pode indicar uso de alguma substância além das nutritivas. Alessandra Romiti, especialista pela SBD em dermatologia, diz que marcas não divulgam todos os componentes de seus dermocosméticos e que o paciente deve ser cuidadoso com as escolhas.


"As pessoas confundem às vezes cosméticos com medicamentos. No site desses dois produtos, na composição, são super vagos, colocam só vitaminas e aminoácidos, eles não falam de ter especificamente nenhuma molécula que aumente o crescimento de fios. É muito difícil a gente falar de eficácia de produto cosmético porque eles têm marca registrada, a gente não tem acesso exatamente ao que tem dentro deles", lembra Romiti.

Publicidade


Apesar disso, existem medicamentos aprovados que provocam o crescimento dos cílios. "O mais conhecido é o Latisse, que na verdade é um colírio, era utilizado para glaucoma, mas [como efeito colateral] fazia crescer os cílios", diz a dermatologista.


O problema desse remédio é que ele pode pigmentar, causando escurecimento da pálpebra e até da íris de pacientes que têm olhos claros. "Então hoje a gente não usa como colírio, usa com um aplicador quando é para os cílios", afirma Romiti.


O princípio ativo do Latisse é a bimatoprosta. A substância promove crescimento dos cílios e só deve ser usada com acompanhamento médico. Entre os efeitos colaterais, porém, estão a diminuição da pressão ocular e irritação da pálpebra.


QUEM PODE USAR REMÉDIOS PARA CRESCIMENTO DE CÍLIOS?


Pessoas com doenças que levam a perda dos cílios, sobrancelhas, cabelos e pelos do corpo podem utilizar medicamentos como bimatoprosta e latanoprosta, que também promove crescimento dos cílios, no tratamento.


Romiti diz que, seja por desejo ou necessidade, o acompanhamento de um dermatologista é essencial para evitar irritações e pigmentação.


Os séruns, por sua vez, podem ser usados se o foco for a nutrição, que será otimizada com suplementação de vitaminas ou melhorias na alimentação, pontuam especialistas.


"Esses que compram na internet e prometem o crescimento dos cílios como cosméticos são mais indicados para melhorar hidratação dos fios, a força. Muita gente, inclusive, às vezes, associa o produto cosmético e o produto medicamentoso. No último caso é necessária a indicação de um dermatologista para fazer avaliação, ver se a pessoa tem alguma deficiência, para um diagnóstico melhor", reforça Romiti.


Imagem
Depressão sazonal: entenda como as mudanças climáticas afetam sua saúde mental
Depressão sazonal, também conhecida como transtorno afetivo sazonal, está relacionada ao desenvolvimento de sintomas depressivos diretamente associados às mudanças climáticas.
Publicidade

Últimas notícias

Publicidade