Pesquisar

Canais

Serviços

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Lamentável

Uma mulher é vítima de violência no Brasil a cada 4 horas

Redação Bonde com Agência Brasil
17 jul 2023 às 13:44
- Marcelo Camargo/Agência Brasil
siga o Bonde no Google News!
Publicidade
Publicidade

Uma mulher é vítima de violência no Brasil a cada 4 horas. Em 2022, foram registrados mais de 2.400 casos, dos quais quase 500 foram feminicídios - pode-se dizer que, a cada dia, pelo menos uma mulher morreu apenas por ser mulher. As informações são da Rede de Observatórios da Segurança.


Maneiras de salvar as vidas e de acolher essas mulheres estão sendo debatidas nesta segunda-feira (17) e terça-feira (18) no 1° Encontro Nacional das Casas da Mulher Brasileira, em Brasília.

Cadastre-se em nossa newsletter

Publicidade
Publicidade


A Casa da Mulher presta atendimento humanizado e integrado às mulheres vítimas de violência. São oferecidos serviços de acolhimento e triagem; apoio psicossocial; delegacia; acesso à Justiça, ao Ministério Público e à Defensoria Pública, por exemplo.

Leia mais:

Imagem de destaque
Temas sensíveis

Menor de 18 anos não pode decidir sobre aborto, casamento e transição de gênero no Brasil

Imagem de destaque
Jogo virou?

Relembre frases de J.D. Vance, hoje vice de Trump, contra o ex-presidente

Imagem de destaque

Saiba como fazer retificação no registro civil de cidadania italiana

Imagem de destaque
Recuperação judicial

Justiça dá 30 dias para que 123milhas apresente nomes de credores com valores a receber


No evento, são trocadas experiências sobre o trabalho realizado na Casa da Mulher e atualizadas as diretrizes e protocolos de atendimento.

Publicidade


“Para que não tenhamos cada local com uma casa isolada, sozinha, nós precisamos ter uma linha de atendimento, uma linha da qualidade, da efetividade do resultado, enquanto uma política nacional que vai dar conta de respaldar a vida das mulheres e garantir segurança no atendimento”, diz a ministra das Mulheres, Cida Gonçalves.


“Estamos falando de mulheres indígenas, negras, de periferia, quilombolas e ribeirinhas que estão em todos os lugares onde a violência também está muito presente. Então é muito importante essa adequação, esse olhar especial para essa diversidade. Não podemos mais pensar em uma casa com atendimento de forma padronizada”, pontua a ministra dos Povos Indígenas, Sônia Guajajara sobre a importância do acolhimento diferenciado.

Publicidade


O governo federal anunciou em março a construção de 40 novas Casas da Mulher. Na Bahia, serão quatro, com investimento de R$ 47 milhões, nas cidades de Feira de Santana, Itabuna, Irecê e Salvador, com previsão de serem inauguradas em outubro.


Já na Paraíba, serão construídas outras duas, uma em João Pessoa e outra em Patos, com investimentos de R$ 30 milhões.


As sete unidades em funcionamento estão localizadas em Campo Grande, Curitiba, Fortaleza, São Paulo, Boa Vista, São Luís e na Ceilândia, no Distrito Federal.


Imagem
Padre é afastado e eventos são suspensos em igreja de Arapongas após ameaças de fiel
Um padre foi afastado de seu trabalho na Paróquia Nossa Senhora de Fátima de Arapongas (Região Metropolitana de Londrina) após uma mulher ameaçar se matar caso o sacerdote não a atendesse.
Publicidade

Últimas notícias

Publicidade