Pesquisar

Canais

Serviços

Publicidade
Saiba mais

Oceano é detectado em 'Estrela da Morte' de Saturno

Ansa Brasil
07 fev 2024 às 16:04
- NASA/JPL-Caltech/Space Science Institute
siga o Bonde no Google News!
Publicidade
Publicidade

Pesquisadores descobriram um oceano oculto em outra lua de Saturno, planeta cujos satélites naturais são uma das principais esperanças de astrônomos de localizar vida extraterrestre no Sistema Solar.


O estudo foi coordenado por Valery Lainey, do Observatório de Paris, e se baseia em dados da sonda Cassini, histórica missão das agências espaciais de EUA (Nasa), Europa (ESA) e Itália (ASI), concluída em 2017.

Cadastre-se em nossa newsletter

Publicidade
Publicidade


Conforme a pesquisa publicada na revista Nature, um oceano se esconde entre 20 e 30 quilômetros abaixo da superfície congelada de Mimas, lua de Saturno similar à Estrela da Morte, a icônica estação espacial de Star Wars.

Leia mais:

Imagem de destaque
AULAS GRATUITAS

EJA: CCI Leste está com inscrições abertas para idosos acima de 60 anos em Londrina

Imagem de destaque
JARDIM BANDEIRANTES

Londrina: EJA tem matrículas abertas no CCI Oeste para idosos acima de 60 anos

Imagem de destaque
Prova em maio

Vestibular 2024.2 da UTFPR oferta 4.219 vagas em 106 cursos; inscrições começam em 26 de fevereiro

Imagem de destaque
Confira!

Concurso da prefeitura de Londrina divulga cargos e banca organizadora


Até então, cientistas já haviam confirmado a presença de oceanos sob o manto de gelo que cobre as luas Encélado, de Saturno, e Europa, de Júpiter. Nos dois casos, trata-se de oceanos de água líquida que poderiam reunir as condições para abrigar formas de vida.

Publicidade


Mimas é a mais interna das luas de Saturno e foi vista pela primeira vez em 1789, pelo astrônomo alemão William Herschel. O satélite tem uma densidade baixa, o que indica que é composto sobretudo de água congelada, e faz uma série de oscilações durante sua rotação.


O oceano teria se formado recentemente para os padrões astronômicos, entre 2 milhões e 25 milhões de anos atrás - estima-se que o Sistema Solar tenha cerca de 4,6 bilhões de anos. Por isso, ainda não teria deixado sinais na superfície de Mimas, como os gêiseres e fraturas visíveis em Encélado e Europa.


A descoberta deve aumentar o interesse dos astrônomos por Mimas, depois do fascínio alcançado entre apaixonados por ficção científica por remeter à Estrela da Morte, enorme arma de destruição que lança um laser a partir de uma cratera.


A semelhança, porém, é casual, uma vez que o primeiro filme da saga Star Wars com a Estrela da Morte estreou três anos antes das primeiras fotos aproximadas de Mimas, tiradas pela sonda Voyager 1, em 1980, revelando uma enorme cratera no satélite.


Imagem
Com mudanças climáticas, cientistas querem nova categoria para furacões
Uma pesquisa publicada nesta semana sugere criar uma nova categoria máxima para furacões, para mostrar como a mudança climática intensificou esses fenômenos nos últimos 40 anos.
Publicidade

Últimas notícias

Publicidade