Pesquisar

Canais

Serviços

- Reprodução/Pixabay
Continua depois da publicidade
Continua depois da publicidade
Entenda

UEL: Redação do vestibular pode fugir do formato tradicional

Edson Neves - Especial para a FOLHA
17 jan 2022 às 07:25
Continua depois da publicidade

O formato da redação do Vestibular da UEL (Universidade Estadual de Londrina) poderá ter novidades para a edição 2022. Isso porque nos informes dentro do Manual do Candidato - que é documento que traz todas as informações a respeito da prova - há uma pequena alteração no trecho em que fala sobre o teor da redação, abrindo margem para que a universidade aborde estruturas textuais diferentes do que vinha sendo feito até então, que era de dois a quatro textos, de temas variados, no modelo dissertativo-argumentativo.

Continua depois da publicidade
PUBLICIDADE


No edição 2021 do Vestibular UEL, já com formato adaptado, a redação sofreu mudanças, reduzindo para um a quantidade de textos dissertativos-argumentativos, se tornando uma redação semelhante ao Enem (Exame Nacional do Ensino Médio). O Manual do Candidato trazia a informação da seguinte maneira: "[...] A Prova de Redação, excepcionalmente, constituir-se-á de uma proposta (um único tema). A partir da leitura de textos verbais e não verbais, o candidato deverá produzir um texto dissertativo-argumentativo, de acordo com o enunciado proposto."

Continua depois da publicidade


Em 2022, o parágrafo foi alterado para "[...] A Prova de Redação, excepcionalmente, constituir-se-á de uma proposta (um único tema). A partir da leitura de textos verbais e não verbais, o candidato deverá produzir um texto em prosa, de acordo com o enunciado proposto.", sem mencionar qual será o seu modelo.


"Ano passado a UEL deixou claro o que queria. Agora, o candidato deverá estar preparado para as diversas sequências textuais que terá que escrever. As vezes, pelo enunciado, o aluno não necessariamente deverá criar um texto dentro de um modelo específico e engessado, como no dissertativo-argumentativo, um conto ou uma crônica", explicou o professor Nilson Douglas Castilho, coordenador de ensino médio do Colégio Marista de Londrina.


Continue lendo na Folha de Londrina.

Continue lendo

Últimas notícias

Publicidade